Domingo, 22 de Setembro de 2019
Carne recheada com celular

Mulher tenta entrar em presídio com celular escondido em carne moída

Mãe de presidiário que está na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, tentou entrar com o alimento mas foi barrada



1.jpg Aldecira não sabia ou esqueceu que não pode levar alimento cru
30/09/2013 às 08:59

Aldecira Ferreira Pimentel, 35, foi detida na manhã de domingo(29) ao tentar entrar com um celular, oito chips e dois cartões de memória escondidos em um tablete com um quilo de carne moída na cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa no Centro de Manaus, durante o horário de visita.

Segundo os agentes penitenciários, a mulher ainda tentou disfarçar, mas eles desconfiaram da encomenda. “Ela foi muito inocente ou não sabia que é proibido entrar com alimentos crus na cadeia, já que os detentos não podem cozinhar. Assim que vimos o pacote, decidimos abrir e encontramos os produtos”, disse um dos policiais ao MANAUS HOJE.

O celular seria entregue ao filho da mulher, Admas Ferreira Pimentel, que está preso na unidade prisional e cumpre pena por roubo e homicídio.

De acordo com policiais civis do 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), funcionários do Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe) levaram a suspeita até a delegacia, onde foi autuada no crime de favorecimento real. O delegado plantonista Eduardo Paixão realizou o procedimento policial e após assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), Aldecira foi liberada e responderá pelo crime em liberdade.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.