Publicidade
Manaus
Violência contra a mulher

Mulheres são maiores vítimas de violência doméstica, apontam dados da SSP-AM

Em 2012, elas lideraram os 3.354 casos registrados.  A maioria das vítimas tinha entre 18 e 24 anos 18/06/2013 às 10:32
Show 1
Pesquisas apontam que muitos maridos agressores são vítimas de lares onde a prática da violência era comum
Jornal A Crítica ---

Dados do Anuário Estatístico da Criminalidade 2012, divulgado pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), mostram o registro 3.354 casos de violência doméstica em Manaus, tendo ocorrido predominantemente contra mulheres na faixa etária de 18 a 24 anos.

O número corresponde aos casos envolvendo lesões corporais. “Na prática podemos dizer que quase 300 mulheres por mês procuraram as delegacias, em 2012, para registrar agressões físicas sofridas em casa”, disse, ontem, a presidente da Comissão de Defesa e Proteção dos Direitos da Mulher da Câmara Municipal, vereadora Professora Jacqueline (PPS).

Segundo a parlamentar, os dados mostram a necessidade de uma conscientização da temática desde a infância. Por isso, Jacqueline informa que apresentou um projeto que inclui a Lei Maria da Penha, criada em 2006 para proteger mulheres contra a violência doméstica, como tema transversal nas escolas da rede municipal de ensino.

De acordo com a vereadora, a inclusão da Lei Maria da Penha como tema transversal na rede pública de ensino é uma forma de evitar a perpetuação de tais práticas, conscientizando as crianças, meninos e meninas, sobre a legislação. “O trabalho de sensibilização contra a violência da mulher irá cooperar para que a futura geração se empenhe nessa luta e evita que surjam novos agressores. Para as meninas, uma maior conscientização sobre os seus direitos e para os meninos sobre as penalidades da nova lei e a importância de respeitar as mulheres”, disse.

Pesquisas apontam que muitos maridos agressores são vítimas de lares onde a prática da violência era comum. Outras demonstram que as crianças que são criadas no ambiente com esse tipo de violência tendem a ser violentas na fase adulta.

A Lei 11.340/06, conhecida com Lei Maria da Penha, ganhou este nome em homenagem à Maria da Penha Maia Fernandes, que por 20 anos lutou para ver seu agressor preso. Maria da Penha é biofarmacêutica cearense, e foi casada com o professor universitário Marco Antonio Herredia Viveros. Em 1983 ela sofreu a primeira tentativa de assassinato, quando levou um tiro nas costas enquanto dormia.

Publicidade
Publicidade