Publicidade
Manaus
Insegurança

Moradores de conjuntos da Zona Norte erguem muros para fugir da violência

No último mês, moradores do conjunto Ben-Hur decidiram construir muros nas principais vias como tentativa de inibir a violência que tem ocorrido em qualquer horário 24/11/2016 às 09:26 - Atualizado em 05/12/2016 às 09:27
Show 1163691
(Foto: Márcio Silva)
Isabelle Valois Manaus (AM)

Assaltos, sequestro e estupros são as principais violências que os moradores do conjunto Ben-Hur, localizado no bairro Cidade de Deus, Zona Norte, tem passado nos últimos dois anos. Cansados de aguardar por segurança, nos últimos meses, um grupo de moradores vem se reunindo para buscar soluções. No último mês, esse grupo decidiu construir muros nas principais vias como tentativa de inibir a violência que tem ocorrido em qualquer horário. O pior, se a vítima não tiver nada de valor para entregar aos assaltantes, corre o risco de perder a própria vida.

Morador há 20 anos do conjunto, o aposentado Paulo Roris de Santos Almeida, 64, passou por um susto em frente a própria casa quando se viu com uma arma apontada para cabeça, enquanto o filho era assaltado. “Foi uma sensação horrível me senti um inútil, impossibilitado a fazer qualquer coisa”. Essa situação tem sido cada vez mais comum no conjunto desde que foi suspendido o programa Ronda nos Bairros.

O designer Frank Costa, 49, contou que há casos mais preocupantes que sempre ocorrem na Área de Proteção Ambiental (APP) do conjunto. Como estupros e assédios as mulheres e até crianças que vivem no Ben-Hur. “Não importa à hora, eles (assaltantes) cometem os crimes a qualquer momento, às vezes estão a pé, quando não de carro, moto e até de bicicleta”, comentou o morador.

Um dos moradores que tem liderado a construção do muro, que preferiu não se identificar, informou que boa parte dos assaltantes são de áreas periféricas que estão ao redor do conjunto – neste caso as invasões. Esta população, nos últimos meses tem se apropriado até da própria APP do conjunto construindo barracos e destruindo todo o sistema de esgoto do conjunto, que por causa desta ação é despejado diretamente em uma nascente que existe dentro da área de proteção.

Os moradores estão em buscas dos órgãos competentes para regular a construção dos muros e sempre que possível realizam reuniões com o comandante da 13º Companhia Interativa Comunitária (Cicom), onde surgiu a Rede de Vizinhos Protegidos.

Vila Nova

No conjunto Vila Nova, que se encontra localizado ao lado do Ben-Hur, a situação não tem sido tão diferente. No mês de setembro, a autônoma *Maria da Silva, 40, passou por um sequestro quando estacionava o carro em frente de casa.

“Me deparei com um trio. Ele me jogaram para o banco de trás do carro, levaram tudo que eu tinha de valor e por duas horas fiquei na posse deles enquanto realizavam vários assaltos na Zona Norte e Leste de Manaus. Por fim, me abandonaram pelo Fazendinha e seguiram com o carro, foi desesperador”, revelou a fonte.

*Nome fictício para preservar a identidade da fonte

Denúncia

De acordo com a Diretoria de Fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidades (Semmas), a denúncia foi recebida na última segunda-feira e uma equipe de fiscalização irá ao local nesta quinta-feira, para verificar a situação. “Parece que construíram em cima de uma caixa de gordura do conjunto, mas amanhã teremos um diagnóstico da situação”, informou a diretoria.

Em números

250  é a média de casas que há no conjunto Ben-hur, localizado no bairro Cidade de Deus, Zona Norte. Quase todos os moradores ou alguém da família já sofreram algum tipo de violência dentro do conjunto.

Blog: Secretário de Segurança, Sérgio Fontes

Essa questão está ligada diretamente ao código de postura do município, cabe a prefeitura essa fiscalização. Quanto a segurança, a secretária certamente vai intensificar sua atuação nessa região e é  recomendável que os moradores provoquem o Delegado e o oficial da Polícia Militar da região  para exporem seus problemas pontuais e proporem soluções nos moldes do que já vem acontecendo em outras regiões de Manaus . Grupos de whatsapp,  um programa de vizinhança vigilante, horários e locais mais críticos, etc.

Publicidade
Publicidade