Publicidade
Manaus
Manaus

Muros de bairros em Manaus são marcados com a sigla da FDN

Muros nos bairros da União e Parque 10 escondem histórias sobre chefes dos tráficos e causam medo nos moradores. FDN é a facção criminosa Família do Norte 26/05/2015 às 16:35
Show 1
De acordo com moradores, a maioria das pichações ocorrem durante a madrugada e siglas mostram quem está no comando
MANAUS HOJE ---

Siglas como as das facções criminosas Família do Norte (FDN) e Comando Vermelho (CV) tomaram conta dos muros dos bairros da União e Parque 10 de Novembro, ambos localizados na Zona Centro-Sul de Manaus. Após denúncias anônimas, a reportagem do MANAUS HOJE foi às ruas do bairro e se deparou com, pelo menos, dez paredes pichadas com as siglas - que têm causado medo na vizinhança.

“FDN C.V 300 espartanos R.J B.U” estão presentes em vários muros, algumas delas nas principais avenidas e até na entrada do bairro é possível ver a pichação exposta como se fosse um cartão de visita. Traficantes do alto escalão da FDN, como Winchester Uchoa Cardoso, 35, o “Chester”, e Messias Maia Sodré, acusado de participar na morte do Delegado Oscar Cardoso, em março de 2014, são apontados como os comandantes do tráfico na região.

Ambos estão presos, mas testemunhas, que são moradores do bairro, revelaram que Chester ainda está comandando o tráfico de drogas no local, mesmo dentro de um presídio, localizado no estado do Rio de Janeiro, onde está preso por tráfico. Ele foi capturado no último dia 7 de abril em uma ação conjunta entre o Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai).

Famoso

De acordo com uma moradora, que preferiu não se identificar com medo de represálias, o nome do traficante Chester ainda “corre solto” no bairro. Segundo informações, as pichações são para demarcar que o território do bairro tem “dono” e que a facção FDN, aliada ao Comando Vermelho (CV), do Rio de Janeiro, é quem comanda a região. Muros das ruas Barreirinha, Desembargador Gaspar Guimarães, 2 de Agosto e a famosa “Suvaco de Cobra”, considerada área vermelha, estão “marcadas” com as siglas.

Moradores comentam que as pichações foram feitas por soldados do tráfico sendo a maioria durante a madrugada. Nem as paredes da Unidade Básica de Saúde (UBS) e do Centro Social Urbano (CSU) do bairro escaparam. Entre as pichações está “Espartanos”, antigo grupo de soldados de Esparta, que eram conhecidos por ataques sanguinários. As ruas 22 e 23 do conjunto Castelo Branco, também no Parque Dez, já possuem as “marcas” da facção. Na via é possível visualizar quatro pichações.

Procurado pela reportagem, o titular do DRCO, delegado Rafael Allemand, confirmou que o traficante Chester era quem comandava o bairro. No entanto, ele negou que a facção criminosa FDN ainda esteja comandando a área do bairro da União, mas que há uma investigação em curso para identificar os suspeitos de comandar o tráfico na área. Mas, sobre as pichações, o delegado informou que são casos isolados e difíceis de relacionar com os traficantes.

Segundo moradores, o traficante que comandava antes era um homem identificado apenas como “Japa”, que foi executado com vários tiros há um ano. Na ocasião, houve explosão de fogos de artifício depois da morte de Japa. Ele não era o comandante do tráfico, mas foi usado como bode expiatório para deixar em liberdade o verdadeiro traficante, Chester. 

Publicidade
Publicidade