Publicidade
Manaus
Saúde

Mutirão dermatológico atende mais de 700 pessoas na Compensa

As atividades aconteceram nas dependências da Policlínica Djalma Batista, com busca ativa de doenças como hanseníase, sífilis e HIV, incluindo a oferta de triagem dermatológica, com exame e consulta, teste rápido de HIV e sífilis, aconselhamento pré e pós-teste, além de orientações educativas 30/07/2016 às 16:40 - Atualizado em 30/07/2016 às 16:41
Show kdskd
Uma equipe de mais de 100 servidores voluntários esteve envolvida na ação realizada num dos bairros da zona Oeste onde foi observado acréscimo de casos de doenças de pele (Foto: Vívian Freire)
acritica.com

Mais de 700 pessoas foram atendidas no 5º Mutirão Dermatológico, na manhã deste sábado (30), no bairro da compensa, zona Oeste. A ação reuniu esforços conjuntos das secretarias municipal de Saúde (Semsa) e de Estado da Saúde (Susam), por intermédio da Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia Alfredo da Matta.

As atividades aconteceram nas dependências da Policlínica Djalma Batista, com busca ativa de doenças como hanseníase, sífilis e HIV, incluindo a oferta de triagem dermatológica, com exame e consulta, teste rápido de HIV e sífilis, aconselhamento pré e pós-teste, além de orientações educativas.   

“A parceria para os mutirões dermatológicos sempre rende bons resultados, especialmente porque a população pode conhecer e buscar o tratamento das doenças de pele”, destacou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão.

Uma equipe de mais de 100 servidores voluntários esteve envolvida na ação realizada num dos bairros da zona Oeste onde foi observado acréscimo de casos de doenças de pele. O diretor-presidente da Fundação Alfredo da Matta, Hélder Cavalcante, explicou que o aumento de casos diagnosticados é esperado em virtude de ações de busca ativa como a realizada neste sábado. 

“Do ano passado para hoje, em todo o Estado, já conseguimos diagnosticar 84 casos novos de hanseníase, mais de 200 casos novos de sífilis, mais de 50 casos de psoríase. Essas doenças estão no meio da população, sem tratamento e, no mutirão, uma atividade realizada aos sábados, há uma oportunidade daquela população que não consegue o atendimento dermatológico ser atendida e orientada”, ressaltou Cavalcante.

*Com informações da assessoria de comunicação.

 

Publicidade
Publicidade