Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020
60 DIAS

Em audiência, Mayc relata abusos ocorridos durante prisão temporária

Para a juíza e três promotores de Justiça, o lutador de MMA Mayc Parede revelou que sofreu intimidação, ficou dias sem comer e chegou a ser levado para prestar esclarecimentos sem a presença do advogado



show_36d523f9-3d88-401c-89ba-a2f9596fce08_E1D6332A-C18B-43CF-8094-12E27EEA5AE1.jpg Foto: Winnetou Almeida
04/12/2019 às 15:49

Ao depor durante Audiência de Custódia realizada na nesta quarta-feira (4), o lutador de MMA Mayc Parede, 37, relatou ter sofrido uma série de abusos que teriam ocorrido durante os 60 dias em que permaneceu preso temporariamente na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na Zona Leste de Manaus.

Mayc é o assassino confesso do engenheiro Flávio Rodrigo dos Santos. Apesar da confissão, os investigadores da Polícia Civil encontraram contradições nos depoimentos do suspeito. Ele é um dos indiciados no inquérito policial sobre o caso, que foi encaminhado ao Ministério Público do Amazonas (MP-AM).



À juíza Lina Marie Cabral e aos três representes do MP, Mayc disse que era retirado da cela onde estava durante a madrugada para prestar esclarecimentos sem a presença do advogado, ficou alguns dias sem alimentação e que também foi intimidado por uma das autoridades policiais que estavam à frente do caso.  

Josemar Berçot, advogado de Mayc, explicou que a audiência realizada teve por finalidade apresentar irregulares e abusos ocorridos durante o período de prisão temporária. “O Mayc já havia relatado antes esses abusos. Hoje ele reiterou pra o MP tais situações. O órgão irá investigar essas informações”, declarou Berçot.

“Eu já entrei com o pedido de Habeas Corpus, a juíza ainda não analisou. No documento, argumento que Mayc tem todos os requisitos para estar em liberdade. Nos próximos dias deve sair o resultado”, complementou Berçot.

A Central de Inquéritos também decretou a prisão preventiva de Mayc, a defesa do sargento da Polícia Militar Elizeu da Paz, 37 anos, argumentou durante audiência sobre a competência da ação. Sobre o assunto, Berçot também relatou que recebeu a notícia com surpresa.

“Isso foi algo que surpreendeu porque esperávamos que quem fosse analisar a prisão preventiva seria o juiz do feito da temporária. E essa questão da competência ou não será analisada com calma. Nós entendemos sim, que a competência seria do Tribunal do Júri e não da central de inquéritos”, ponderou o advogado.  

Ao término dos procedimentos cabíveis no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, localizado na Zona Centro-Sul de Manaus, o lutador de MMA permanecerá preso no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), localizado no quilômetro 8 da rodovia BR-174, à disposição da Justiça.

Antes do lutador de MMA, o sargento da Polícia Militar, Elizeu da Paz, 37 anos, também passou pelo instrumento processual como parte da investigação do homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues, 42 anos, encontrado morto no dia 30 de setembro deste ano.

Leia mais>>> Defesa pede soltura de Mayc Parede e diz que prisão do lutador é ‘política’.

Caso Flávio



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.