Publicidade
Manaus
Dados preocupantes

Na cidade de Manaus, aproximadamente 30% das crianças estão acima do peso

Especialistas defendem que o assunto deve ser tema obrigatório ainda nas primeira séries da vida escolar. Programa de acompanhamento e prevenção foi proposto na Câmara Municipal 29/09/2016 às 05:00
Show zxczx
Especialista afirma que educação alimentar na infância é importante para evitar problemas de saúde no futuro. Foto: OMEP-BR-MS / Creative Commons
Luana Carvalho Manaus (AM)

A obesidade é um sério problema de saúde pública que vem aumentando cada vez mais no Brasil. No Amazonas, as taxas são preocupantes e pesquisas mostram que a doença tem crescido principalmente na infância. Só em Manaus, pelo menos 19% da população é obesa e 56% está acima do peso. Em relação às crianças, a taxa é de 30%, segundo dados do Ministério da Saúde.

Os números têm levantado questionamentos e preocupado especialistas, que acreditam que o assunto deve ser tema obrigatório ainda nas primeira séries da vida escolar. Para o  médico e pesquisador amazonense Euler Ribeiro, a educação alimentar na infância é importante para evitar problemas de saúde no futuro.

“A obesidade tem um componente genético. Existem famílias inteiras que têm a aceleração da proporção produzida de gordura com acumulação. Mas existe um número reduzido número de pessoas com componente genético. A maioria das pessoas são obesas porque são sedentárias, não fazem exercício, exageram na ingestão de gorduras saturadas e açúcares”, explica.

De acordo com o especialista, as consequência são graves e envolvem, principalmente, doenças cardiovasculares, que são as maiores causas de morte no Brasil. “A gordura entope as veias, as artérias e leva em consequência doenças cardiovasculares. A maioria das pessoas que morrem é por  alterações cardiovasculares, principalmente hipertensos, diabéticos e obesos”.

A junção da diabete, hipertensão e obesidade causam a chamada síndrome metabólica. “As famílias deveriam ser orientadas para  fazer uma alimentação proporcional desde muito cedo de gorduras, vitaminas, açúcar e sais minerais”.  O médico ressalta, ainda, que no Brasil a obesidade entre a população de 0 a 12 anos no chega a 13%. “Essas crianças estão fadados a morrer precocemente com uma destas moléstias”, frisa.

Risco tem início na merenda escolar
O vereador Ednailson Rozenha (PSDB) solicitou na Câmara Municipal de Manaus (CMM),  na última segunda-feira, a criação de um programa de acompanhamento e prevenção da obesidade em crianças e adolescentes por meio da rede municipal de ensino para reduzir o número da doença na infância.

De acordo com Patrícia Frota, uma das coordenadoras da Associação dos Obesos do Amazonas (Assoam), a maior causa dos problemas está na merenda escolar e em como os pais fazem esse acompanhamento. “Muitos pais dão bolachas recheadas, salgadinhos, e isso já vai acostumando a criança com um paladar que não é saudável. É importante ter um programa nas escolas, assim como é importante esse acompanhamento dos pais”.

A associação começou a fazer visitas nas escolas municipais a fim de identificar crianças com indícios de obesidade. Eles já acompanham quatro na Assoam. “O processo de acompanhamento não é só a nutrição, é o psicológico, terapia de grupo, terapia na escola. O preço é simbólico, de R$ 30. As consultas com a nutricionista e psicóloga também é R$ 30”, informou. 

Acompanhamento é sugerido na CMM
De acordo com a proposta do vereador Ednailson Rozenha,  o programa combaterá a obesidade e levará a conscientização em relação ao assunto, por meio de palestras com professores,  médicos e outros profissionais como nutricionistas, além de incentivar a prática de atividades físicas e a boa alimentação. A indicação pede a presença de um nutricionista nas escolas municipais para analisar e supervisionar a venda de alimentos nas cantinas e merenda escolar. Caberá ao prefeito Arthur Neto (PSDB) acatar ou não a proposta.

A assoam está localizada na rua Japurá, número 504. O telefone para contato é  991123433 ou 30162151.

 

Publicidade
Publicidade