Publicidade
Manaus
ELEIÇÕES 2017

Na semana das convenções, candidatos convocam medalhões do marketing

De olho no Governo do Estado, Braga e Amazonino recrutaram nomes experientes, enquanto outros candidatos, com menos recursos, apostam na criatividade 12/06/2017 às 06:12
Show cand
Braga e Amazonino aparecem como os principais candidatos até aqui (Fotos: Divulgação)
Janaína Andrade Manaus (AM)

A cinco dias do prazo final de definição de candidaturas e alianças, os pré-candidatos a eleição suplementar para governador do Estado, prevista para ocorrer no dia 6 de agosto, montaram trincheiras diferentes para travar a batalha pelo voto. Dos nove nomes que figuram como possíveis candidatos, dois apostam na expertise de profissionais do marketing. Os outros vão encarar a campanha com equipes das próprias legendas. 

Três vezes governador, duas vezes prefeito de Manaus e ex-senador, o pré-candidato Amazonino Mendes (PDT), que reúne até então em suas fileiras o PSD, do senador Omar Aziz, o PR, do deputado federal Alfredo Nascimento e o PP, da ex-deputada federal Rebecca Garcia, escolheu o marqueteiro  de Artur Neto, o jornalista Marcos Martinelli, de 55 anos, para coordenar sua campanha.

A escolha de Martinelli é uma das mostras da aproximação, ainda de bastidores, entre Amazonino e o prefeito Artur, que na campanha de 2016 teve como aliado o senador Eduardo Braga, do PMDB, que nesta eleição pode ser o principal adversário de Amazonino.

À reportagem, Martinelli afirmou que esteve essa semana em Manaus para uma primeira conversa com Amazonino e que retorna antes das convenções para bater o martelo.
 
Eduardo Braga também optou por um marqueteiro de peso – Chico Mendez, que já esteve em Manaus e está contratando equipe de comunicação que vai atuar na campanha. Mendez atuou, curiosamente, nas campanhas de Eduardo Paes, Sérgio Cabral, Aécio Neves, Fernando Haddad. Todos estes estão envolvidos em fases da Lava Jato, assim como Braga.

Além de Chico Mendez, membros do PMDB afirmam que Eduardo Braga também convocou para trabalhar no marketing de sua campanha Miguel Biango – secretário geral da legenda, que até 2014 era coordenador da UGP (Unidade Gestora Projeto Copa).

Em seu quinto mandato como deputado federal, Silas Câmara (PRB), terceiro mais votado no 1º turno na corrida pela Prefeitura de Manaus no ano passado e único pré-candidato que nesta eleição já anunciou quem será o seu vice – o coronel da Polícia Militar (PM), Amadeu Soares, declarou que ainda não definiu quem cuidará do marketing de sua candidatura. Disse está conversando com profissionais de fora do Amazonas.

“Estou conversando e o partido também com alguns profissionais de fora do Amazonas, mas será um profissional que só agregue aquilo que for meu sentimento para melhorar a vida do povo do Amazonas. É importante, mas não é decisivo. Importante é o trabalho e o compromisso, e isso nós temos”, avaliou Silas.

No dia 4 de maio o TSE determinou a realização de eleições diretas no Amazonas, após confirmar a cassação dos mandatos de José Melo e Henrique Oliveira, determinando ainda que o presidente da ALE-AM, David Almeida (PSD) assumisse o cargo até o resultado da nova eleição. 

Com campanhas mais modestas, candidatos apostam na criatividade

Os pré-candidatos José Ricardo (PT), Luiz Castro (Rede) e Marcelo Serafim (PSB), no quesito marketing, optaram por não contratar nenhum profissional do ramo.  “Vamos ter uma campanha diferente, criativa e sem marqueteiros pagos. Teremos contribuições voluntárias”, disse Luiz Castro.
 
Já Marcelo Serafim adiantou que irá montar uma equipe “enxuta”. “Não temos interesse na contratação de marqueteiros que acabam sendo os ouvidos do candidato perante a população e por fim montam discursos muitas vezes mascarados. Prefiro eu mesmo ir escutar e juntamente com aqueles que confiam em mim construir projetos e programas”, disse o parlamentar.

O ex-deputado estadual Marcelo Ramos, que na disputa eleitoral do ano passado ficou com a segunda melhor votação,  declarou que “nossas novidades só deixarão de ser novidades no dia 16 às 10h”, em referência a data limite para as convenções.

“Estou só trabalhando e viabilizando as coisas. O jogo de quem quer me tirar da eleição é muito bruto e desleal, então é melhor deixar tudo quieto até a hora da convenção”, avaliou Ramos.

Procurado pela reportagem, o pré-candidato Wilker Barreto (PHS), não atendeu as ligações e nem respondeu as mensagens via WhatsApp durante o final de semana. 

Wilker, que é presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), anunciou na sexta-feira que recebeu o apoio do PV, PRP, PSL e do PTdoB (que mudará o nome para “Avante”). Há semanas  Wilker chegou a dizer que tinha o apoio do PPS e do PMN. O PMN desmentiu a informação e na semana seguinte declarou apoio a Marcelo Serafim.

Publicidade
Publicidade