Quinta-feira, 27 de Junho de 2019
DISCUSSÕES

'Não acredito que tenha paralisação', diz delegado-geral da Polícia Civil

Conforme Sobrinho, até o momento não existe paralisação, pois a administração da Polícia Civil não recebeu nenhuma notificação do Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil (Sinpol) sobre a greve.



sobrinho.jpg Sobrinho pediu mais responsabilidade da categoria nos próximos dias (Foto: Divulgação)
19/01/2017 às 09:15

O delegado-geral da Polícia Civil, Francisco Sobrinho, afirmou na manhã desta quinta-feira (19), que “não acredita na paralisação de policiais civis, delegados, investidores e escrivães”, marcada para o próximo dia 25 de janeiro. A greve por tempo indeterminado foi aprovada de forma unânime na noite de ontem, após a realização de uma assembleia com a presença de quase 600 agentes. A categoria reivindica a regularização do pagamento da Lei do Escalonamento, que é a reposição do salarial anual.

Conforme Sobrinho, até o momento não existe paralisação, pois a administração da Polícia Civil não recebeu nenhuma notificação do Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil (Sinpol) sobre a greve. Ele também pediu mais responsabilidade e o prevalecimento de bom senso dos trabalhadores durante os próximos dias.

“Não acredito que tenha paralisação. Ninguém foi notificado oficialmente em nada. Ficamos sabendo assembleia de greve pelos meios de comunicação. Quando eu receber algo do sindicato, vamos começar a tomar as providências. Mas ressalto que não creio que tenha paralisação, pois temos compromisso com aqueles que pagam os nossos salários, que é a população”, destacou o delegado-geral. 

Sobre o pagamento da Lei do Escalonamento, o representante da Polícia Civil destacou que o Governo do Estado fará  a reposição no momento certo.  “O Governo vai dar a reposição na hora certa. O Governador José Melo nunca disse que não daria. Precisam aguardar. Não deve ter precipitação da parte dos trabalhadores. Não podem realizar ações que prejudiquem a população, pois temos dignidade e comprometimento com o nosso trabalho”, ressaltou Sobrinho.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Comunicação Social  (Secom), informou que o Governo do Estado ainda não foi notificado sobre a paralisação da categoria. O órgão também destacou que os serviços nos DIPs Especializados continuam normais.

Serviços afetados

Caso a greve seja deflagrada no dia 25, os serviços prestados nas delegacias serão reduzidos. Estarão suspensos os serviços de registro de boletins de ocorrência, requisição de perícias, Termos Circunstanciados de Ocorrências (TCO’s), bem como as investigações que estejam em cursos. Serão recebidas apenas as situações de flagrantes. 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.