Publicidade
Manaus
JULGAMENTO

Narcotraficante João Branco será julgado no dia 28 de abril em Manaus

O julgamento está marcado para acontecer na Segunda Vara do Tribunal do Júri. João Branco está em um presídio federal 04/02/2017 às 09:20
Show jo o branco
Foto: Evandro Seixas/ACrítica
Joana Queiroz Manaus (AM)

Cento e sessenta processos de crimes de homicídios e tentativa serão julgados no primeiro semestre do ano nas três varas do Tribunal do Júri em Manaus. Ao todo,  216 acusados  vão sentar do bando dos réus. Entre eles, está o narcotraficante João Pinto Carioca, o “João Branco”,  um dos líderes da facção criminosa Família do Norte (FDN),  que está  em presídio federal.

O julgamento de João Branco está marcado para acontecer no dia 28 de abril, pela Segunda Vara do Tribunal do Júri. Ele deverá sentar no banco dos réus juntamente com Diego Bruno de Souza Moldes. Os dois serão julgados pela morte do delegado da Polícia Civil Oscar Cardoso, ocorrido no dia 9 de março de 2014

Julgamento adiado

João Branco deveria ter sido julgado em dezembro do ano passado junto com outros envolvidos na morte do delegado. Além deles,  seriam julgados Marcos Roberto Miranda da Silva, o “Marcos Pará, Messias Maia Sodré, Adriano Freire Correa, o “Maresia”, Diego Bruno de Souza Moldes e o empresário Mario Jorge Nobre de Albuquerque, o “Mário Tabatinga”.

Motivos do adiamento

De acordo com juiz titular da Segunda Vara do Tribunal do Júri, Anésio Pinheiro, o adiamento ocorreu por dois motivos. Primeiro porque a defensora pública que estava atuando no caso se arguiu suspeita, conforme ela, por foro íntimo e pediu o adiamento. Assim, um dos réus ficou sem defesa e outro defensor já foi solicitado para atuar no caso.

Ainda de acordo com Anésio Pinheiro, houve um pedido do secretário de Segurança Pública, Sérgio Fontes, para que fosse adiado o julgamento. No pedido, o secretário Sérgio Fontes alegou questões de logística dos presídios da comarca de Manaus, devido às festas de fim de ano e o movimento das cadeias envolvendo crime organizado.

João branco em Manaus

O promotor de Justiça Ednaldo Medeiros disse que o Ministério Público estadual (MP-AM), autor da denúncia, não vai abrir mão de ter todos os envolvidos presentes num mesmo julgamento, inclusive João Branco, que é um dos integrantes do alto comando da FDN e considerado de alta periculosidade.

João Branco está preso no presídio federal de Catanduvas, no Paraná, desde o início do ano passado e deverá ser trazido para ser julgado pelo homicídio do delegado. O promotor ressaltou que, até o momento, João Branco nunca foi ouvido em juízo. O promotor não descarta que no dia do julgamento ele possa fazer revelações que possam mudar o rumo do processo.

 

Publicidade
Publicidade