Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020
CHEIA RIO NEGRO

Nível do rio Negro em Manaus deve ficar entre 28,96 a 29,46 metros, diz CPRM

O volume é 2,02 metros acima do mesmo nível registrado na cheia do ano passado. Os dados fazem parte do 3° Alerta de Cheia divulgado nesta quarta-feira



gd.jpg (Foto: Silane Souza)
31/05/2017 às 11:33

O nível do rio Negro em Manaus deve ficar entre 28,96 a 29,46 metros, com média de 29,31 metros. O volume é 2,02 metros acima do mesmo nível registrado na cheia do ano passado. Os dados fazem parte do 3° Alerta de Cheia divulgado nesta quarta-feira (31) pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

De acordo com o superintendente regional do CPRM, Marco Antônio, o processo de cheia em Manaus continuará evoluindo. "O rio Negro encontra-se represado pelo rio Solimões, embora haja uma estabilização na cheia do Solimões, a cheia em Manaus dependerá muito das águas que vão descer pelo rio Negro. Se houver chuva dentro da média será também uma cheia que vai evoluir de forma mais lenta", explicou.



O chefe da divisão de meteorologia do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), Ricardo Dallarosa, destacou que as chuvas foram abaixo da média no último mês e a previsão é que a precipitação se reduza ainda mais. "As chuvas para o Amazonas não devem ser muito significavas nas próximas duas semanas. Mas isso não influencia na cheia, nesse caso, são as que já caíram que vão influenciar", afirmou.

Atualmente, 32 municípios no Amazonas estão em situação de emergência por conta da enchente, de acordo com a Defesa Civil do Estado. Ao todo, mais de 57 mil famílias foram afetadas pela anormalidade causada pela subida dos rios. A Defesa Civil AM com apoio da Defesa Civil Federal está atendendo a população com ajuda humanitária.


Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.