Publicidade
Manaus
DOAÇÃO DE SANGUE

No Amazonas, número de doadores ainda é insuficiente e estoque está sempre no limite

Apesar do número crescente de pessoas que doaram sangue nos últimos anos, a falta de regularidade continua a manter o estoque, em alguns meses do ano, bem abaixo do recomendado pela ONU 02/03/2017 às 09:15
Show 1200360
(Foto: Antonio Lima)
Lídia Ferreira Manaus (AM)

A quantidade de doadores de sangue aumentou nos últimos três anos no Amazonas, mas a crescente demanda e a falta de regularidade faz com que o estoque do Hematologia e Hemoterapira do Amazonas (Hemoam) trabalhe, regulamente, no limite. A situação é nacional e deixa o Brasil bem abaixo da taxa de doação recomendada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Somente 1,8% da população brasileira entre 16 e 67 anos doam sangue, de acordo com dados do Ministério da Saúde. A recomendação é entre 3% e 5%, conforme a ONU. “Temos alcançado a média mensal de estoque, especialmente em períodos como o Carnaval, quando fazemos campanhas para atingir a meta. Mas é sempre necessário mais doadores”, diz a Lana Sulamita, gerente de triagem e coleta.

O Hemoam recebeu 57.935 doares ao longo de todo o ano passado. Em 2015, o total foi de 54.767, de acordo com os dados do Indicador de Desempenho do Estado do Amazonas (IDEA), divulgado no site da Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti). “Nem todo mundo vem regularmente. A maioria doa só quando alguém da família ou amigo precisa”, conta a supervisora de Enfermagem Arany Campos.

É o caso do estudante Ítalo Romão dos Santos,21, doador de primeira viagem,. “Eu só vim porque meu filho vai fazer uma cirurgia, a verdade é que nunca me interessei porque tinha medo. Mas agora vi que não é complicado e pretendo doar mais vezes”, diz.O técnico em eletrônica Ricardo Alexandre,39, é doador a 10 anos. Pelo menos duas vezes por ano, ele comparece ao Hemoam para doar sangue e escolhe períodos festivos, como carnaval e réveillon. “Sei que próximo a essas datas se torna muito necessário devido a acidentes”, fala. Ele começou a doar após uma campanha itinerante feita no trabalho. “Esclareci minhas dúvidas e vi que me encaixava no perfil, então resolvi ajudar. É uma forma de você ajudar o próximo, a gente nunca sabe quando a gente vai precisar ser ajudado também”.

O metalúrgico Elinilson Souza da Silva, 34, possui até a carteirinha do Hemoam por ser um doador assíduo desde 2008. A cada quatro meses ele comparece ao setor de coleta e já é conhecido entre os servidores. “Você se sente bem em doar e não dói nada. Se você fizer todas as recomendações, não sente nada”, comenta. A carteirinha só é concedida a partir da terceira doação. Com o documento, o doador paga meia entrada em eventos culturais e cinema, além de poder realizar exames específicos no Hemoam. Contudo, ela precisa estar atualizada, ou seja, em uso regular.

Fim de ano registra maior queda

A queda no número de doadores ocorre principalmente nos últimos três meses do ano.Em 2016, assim como em 2015, outubro, novembro e dezembro tiveram uma redução entre 300 a 600 doares, de acordo com dados do IDEA. Em novembro de 2016, por exemplo, 4.349 doares compareceram ao Hemoam. “A nossa média mensal é de 5 mil pessoas”, conta Lana Sulamita. Os feriados prolongados, como Semana Santa, em abril, e Aniversário de Manaus, em outubro, também tem uma baixa no número de doares. “Muitas pessoas viajam e não priorizam fazer as doações”, destaca a enfermeira do Hemoam Arany Campos.

De acordo com ela, há muitos “mitos” que afastam as pessoas, como por exemplo ter tatuagem. “Se a tatuagem foi feita há mais de um ano, pode doar sim. Também não precisa vir em jejum, pelo contrário, tem que vir alimentado”.

Quem pode doar

Documento de identificação com foto (CNH, Identidade, carteira de trabalho, etc.);

Ter entre 16 e 67 anos; Pesar acima de 50kg;Ter boa saúde;Dormir, pelo menos, 6h na noite anterior;Fazer todas as refeições antes de ir doar;Ter feito tatuagem um ano antes da doação.

Quem não pode doar

Quem teve hepatite após 11 anos de idade;

Usuário de drogas;Quem tem doenças como HIV, Hepatitie B e C;Quem teve malária nos últimos 12 meses; Quem teve febre nos últimos 30 dias; Quem esteve no interior nos últimos 30 dias; Mulheres grávidas ou amamentando.

Publicidade
Publicidade