Publicidade
Manaus
Manaus

No Dia Mundial do Turismo, infraestrutura ainda é o maior gargalo de Manaus

O povo é hospitaleiro e a paisagem linda, mas a capital amazonense ainda deixa a desejar quando o assunto é turismo, mesmo com todas as vantagens e apelos ecológicos 26/09/2014 às 22:30
Show 1
Contemplar o rio Negro a partir da Manaus Moderna, com o ir e vir de barcos, fica impossível com o precário estado de calçadas e muretas
ACYANE DO VALLE Manaus (AM)

O Amazonas possui uma “vantagem turística” que poucos lugares do mundo têm: a hospitalidade do  povo. Outro fator que desequilibra a balança na comparação com outras regiões é a exuberância da natureza. Com a floresta amazônica à disposição, a maravilha do encontro das águas dos rios Negro e Solimões, somando tudo isso, era de se esperar que o Estado fosse imbatível no turismo. Mas ainda falta o principal: uma estrutura adequada para receber o turista.

E não precisa ser um visitante para notar isso. Na capital amazonense, basta dar uma volta pelo Centro, parada obrigatória do visitantes, para constatar situações e lugares que podem afugentar quem visita a cidade. O  primeiro desses lugares é a Manaus Moderna. Durante a semana, o local é uma grande confusão de guardadores de carros, carregadores de alimentos, pedestres, carros  estacionados em fila dupla e caminhões parados nos dois sentidos da via, tudo isso em meio à sujeira e um forte mau cheiro.

“Aqui se tem uma vista linda do rio Negro, com os barcos regionais chegando e saindo, mas tudo isso se perde diante dessa bagunça, é um quadro muito triste para a cidade. Eu sou daqui, mas é uma situação que dá vergonha”, comenta a aposentada Ermelinda Faria, 76. Em vários pontos, a mureta de proteção da Manaus Moderna está quebrada, representando risco para as pessoas que se propõem contemplar o rio Negro daquele local.

Exatamente ao lado da feira da Manaus Moderna, em forte contraste, funciona o Mercado Municipal Adolpho Lisboa, um dos ícones da arquitetura de ferro no Brasil, reinaugurado no ano passado pela prefeitura, nas comemorações dos 344 anos da capital. O valor histórico do mercado atrai os turistas e também a população, que voltou a frequentar o local.

Os ônibus de turismo também encontram dificuldades para parar em espaços apropriados no Centro. Com exceção de duas, não existem paradas específicas, muito menos, áreas de descanso para que visitantes idosos ou com necessidades especiais possam aguardar o ônibus em segurança. O item transporte público continua sendo avaliado negativamente pelos turistas.

“Eles falam muito sobre as dificuldades com transporte, que falta orientação nessa área, mas o manauense é muito solícito, e mesmo quando enfrentam algum problema de caráter estrutural, sempre encontram pessoas para ajudar”, contou o empresário Daniel Moss, dono do albergue Local Hostel Manaus, que funciona no Centro. Mais de 70% dos turistas que se hospedam no albergue são estrangeiros, e destes, a maioria da Alemanha.

Rodoviária é péssimo exemplo

O turista com intenção de visitar, por estrada, municípios do Amazonas como Rio Preto da Eva, Manacapuru, Presidente Figueiredo e Itacoatiara, terá de utilizar o Terminal Rodoviário Engenheiro Huascar Angelim, no bairro de Flores, Zona Centro-Sul.

Inaugurado em setembro de 1980 pelo então governador José Lindoso, há muito tempo que a sua estrutura necessita de uma reforma geral. O prédio ganhou uma pintura e reforma nos banheiros por conta da realização da Copa do Mundo, mas a visão do lugar é angustiante para quem atende turistas do mundo inteiro.

“Para uma cidade com o porte de Manaus, já deveriam ter feito algo para melhorar essa rodoviária”, comentou o taxista  Josenilso Bento da Silva, que atua há mais de 30 anos no ponto da rodoviária. “É um cartão de visita da cidade”.

No estudo sobre “O turismo na Região Metropolitana Manaus”, concluído ano passado, o pesquisador Antônio Henrique Queiroz Conceição, da Unip, disse que “a atividade turística necessita de uma diversificada cadeia produtiva para o efetivo atendimento da demanda e, em contrapartida, essas cadeias contam com o turismo para o seu crescimento, agregando valor a seus produtos e serviços”.

Informações

O empresário do turismo Daniel Moss disse que, “no geral”, o turista sai satisfeito com o Amazonas e de Manaus, mas ainda falta muita coisa em termos de infraestrutura e até comunicação turística. As viagens em barcos regionais, por exemplo, um grande atrativo para visitantes, carecem da divulgação de informações básicas.

“Como são os barcos, as viagens, duração, preços, horários, locais de venda de passagens; todas essas informações não são encontradas com facilidade. Alguns turistas querem se planejar mas não conseguem porque só têm acesso a esse tipo de dado quando chegam em Manaus”, enfatizou Moss. A solução seria a publicação, em portais oficiais, de uma tabela com informações detalhadas.

Dia especial

Hoje é Dia Mundial do Turismo. A data foi instituída pela Organização Mundial do Turismo (OMT) e a escolha se deu em homenagem à implantação do seu Estatuto. Esta atividade responde por 10% da riqueza do mundo.


Publicidade
Publicidade