Domingo, 21 de Julho de 2019
Manaus

‘Nova Djalma Batista’ terá calçadas amplas, intervenções paisagísticas e de iluminação

Ao todo, segundo levantamento do órgão, há 125 situações que precisam de ajustamento na avenida. Elas ficam no perímetro entre o Boulevard Álvaro Maia até a altura do Aeroclube de Manaus



1.jpg Trecho de como ficará a avenida Djalma Batista de acordo com o projeto
03/07/2013 às 17:59

A prefeitura de Manaus promete repaginar a Avenida Djalma Batista até maio de 2014, quando a cidade será uma das sub-sedes da Copa do Mundo de Futebol. Considerada uma das principais vias da capital, ela passará por mudanças na estrutura das calçadas e meio fio, além de intervenções paisagísticas e de iluminação. O processo licitatório para obra já em andamento, a previsão é que seja iniciada ainda neste mês de julho, com orçamento aproximado de R$15 milhões.

Ao todo, segundo levantamento do órgão, há 125 situações que precisam de ajustamento na avenida. Elas ficam no perímetro entre o Boulevard Álvaro Maia até a altura do Aeroclube de Manaus. Entre os ajustes necessários estão: a retirada de placas de sinalização irregular, recuo de lojas e estacionamentos ilegais sobre a calçada. “Ela é uma Avenida fundamental para a vida de Manaus, e está hoje deteriorada e tem que ser revitalizada para de fato representar a cara da cidade que nós desejamos”, comentou o prefeito de Manaus Arthur Virgilio Neto.


O projeto, que já é de conhecimento dos empresários de diversos setores, foi apresentado à imprensa no final da tarde desta terça-feira (2), em entrevista coletiva realizada no auditório da prefeitura, localizada na avenida Brasil, Zona Oeste de Manaus.

Para o diretor presidente o Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), Roberto Moita, a intervenção visa aumentar a qualidade de vida no local. “As principais mudanças são a construção de passeios públicos de três metros de largura, um trabalho de iluminação, arborização sinalização, paisagismo, melhoria do mobiliário e regularização de estacionamento. Tudo isso visando melhorar a vida de quem circula na via como valorizar novamente o comércio de rua, não apenas os shopping centers”.

Tanto o prefeito, quanto o diretor presidente do Implurb foram enfáticos em dizer que a iniciativa depende do apoio dos comerciantes não apenas na sua implementação, quanto na sua manutenção.

“Nós chamamos os comerciantes da avenida como uma forma de ‘vender’ o projeto a eles, fazê-los entender a sua importância, e também ouvir suas sugestões sobre como eles poderiam ajudar. A conservação da obra será mais difícil que a obra em si”, disse Moita.


O presidente da Câmara de Lojistas de Manaus (CDLM), Ralph Assayag, mostrou-se solícito em realizar conversa com os comerciantes sobre o projeto, que, segundo ele, é necessário. “O todo da avenida vai ficar organizada, vai dar um novo padrão de qualidade ao local”, disse.

No entanto, lembrou que pequenos ajustes devem ser levados em consideração para não prejudicar os empreendedores, em relação à largura das calçadas.”Na mesma maneira quando se chega próximo ao Amazonas Shopping e ela (a avenida) é reduzida para duas pistas em vez de três de cada lado, também tem lugares  que irão receber redução e isso vai causar impacto se for querer ser implantado a ‘ferro e fogo’. Acredito que alguns ajustes de 40cm, 60cm e até de 1 metro podem ser feitos”, completou Assayag.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.