Publicidade
Manaus
Manaus

Nova resolução pega proprietários de pets e clínicas veterinárias de surpresa em Manaus

Conselho Regional de Medicina Veterinária do Amazonas (CRMV-AM) começa a fazer as fiscalizações a partir de amanhã 14/01/2015 às 13:58
Show 1
Proprietários dos pet shops ficaram surpresos com a resolução, alegaram falta de espaço para colocar os animais, mas que se adequariam às normas. Outros empresários afirmaram que deixariam de comercializar os animais nos pet shops
luana carvalho ---

É comum encontrar animais sendo comercializados em gaiolas instaladas logo na entrada dos pets shops em Manaus. Na última segunda-feira (12), o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) publicou uma resolução que exige instalações  livre de excesso de barulho e poluição, com luz adequada e protegido contra intempéries e situações que causem estresse aos bichos.

Nesta terça-feira (12), a equipe de A CRÍTICA percorreu algumas lojas de vendas de produtos agrícolas e veterinários, que também comercializam animais, mas a maioria dos atendentes, gerentes e donos dos estabelecimentos pareceram surpresos ao serem questionados sobre a adequação à resolução.

O proprietário de uma loja de produtos  agrícolas e veterinários,  na avenida Autaz Mirim,  Zona Leste, Alberto Smith,  ainda não estava sabendo da resolução e pela falta de espaço, disse que “o jeito” seria parar de comercializar os animais.

“Nós não vendemos mais todos os tipos de animais, somente pintos, coelhos, periquitos australianos. Se não pudermos mais expô-los em um local onde os clientes vejam, não faz sentido vendê-los. O que chama a atenção é quando a pessoa passa, olha e se apaixona pelo animal”.

Em relação à presença do veterinário técnico no estabelecimento, que também é exigido pela lei, ele afirmou que não possui. “Consegui provar na Justiça que minha loja não precisa de um veterinário técnico. Nós cuidamos muito bem dos bichos, são bem alimentados e quando ficam doentes levamos ao consultório veterinário ao lado da loja”, disse.

 O médico veterinário é considerado o responsável técnico do estabelecimento e deve assegurar a inspeção diária obrigatória do bem-estar e saúde dos animais.

O gerente de um pet shop localizado na Avenida Perimetral, bairro Parque 10, Zona Centro-Sul, Eduardo Medeiros, também não sabia da resolução. “Como não tenho espaço suficiente para me adequar, vou parar de vender os animais”.

A equipe de reportagem também visitou dois pet shops na avenida Brasil, bairro Compensa, Zona Oeste. Os dois estabelecimentos possuíam médico veterinário, mas ainda estavam comercializando animais irregularmente.

Uma das atendentes da loja, que preferiu não ter o nome divulgado, disse que ainda não sabia da resolução, mas que os donos do estabelecimento iriam se adequar. 

Fiscalização

O coordenador de fiscalização do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Amazonas (CRMV-AM), Marcelo Bastos, informou que as fiscalizações acontecerão a partir desta quinta-feira (15). “Vamos fazer as fiscalizações, mas não multamos de primeira. Deixaremos um termo de fiscalização e um auto de infração, orientando os proprietários. O estabelecimento terá 30 dias para se adequar às normas. Caso não se adeque, ele enfrentará um auto de multa”.

Publicidade
Publicidade