Domingo, 22 de Setembro de 2019
Manaus

Novas subestações e linhas de transmissão chegam para reforçar sistema elétrico de Manaus

A informação foi divulgada na manhã desta segunda-feira (4) durante audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) durante a instalação do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico da Região Metropolitana de Manaus



1.jpg Ainda durante a audiência, o representante da Federação das Indústrias do Amazonas (Fieam), Flávio Dutra, destacou a relação do setor industrial de Manaus com a Eletrobras Amazonas Energia
04/03/2013 às 18:46

A cidade de Manaus e municípios que compõem o ‘Sistema Manaus’ de energia elétrica (Iranduba, Manacapuru e Presidente Figueiredo) vão ganhar reforço na área de transmissão e distribuição com a construção de novas subestações e linhas de transmissão que devem ser concluídas a partir do próximo mês de abril.  Até o fim deste ano serão 19 subestações (entre construção e ampliação) e seis novas linhas de transmissão que trarão maior robustez ao sistema de energia elétrica da região.

A informação foi divulgada na manhã desta segunda-feira (4) durante audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) durante a instalação do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico da Região Metropolitana de Manaus.  

Atendendo ao convite da Aleam, a diretoria da Eletrobras Amazonas Energia fez apresentações prestando informações sobre os atuais investimentos da empresa no Estado e um breve retrospecto desde 2008. A distribuidora destacou o reforço na geração de energia elétrica, os novos empreendimentos que estão em andamento nas áreas de transmissão e distribuição.

“Serão investidos cerca de R$ 5 bilhões em todo o Estado nos próximos três anos. Para isso, estamos aplicando recursos tecnológicos que são utilizados hoje em grandes metrópoles brasileiras. Podemos dizer que nenhuma outra capital do Brasil vem recebendo tanto investimento quanto Manaus. Mas, para isso, precisaremos da cooperação de toda a sociedade porque as obras, em algum momento, podem causar algum tipo de transtorno”, revelou o diretor de Planejamento e Expansão da empresa, Marcos Vinícius Nogueira.   

Com relação à conexão de Manaus ao Sistema Interligado Nacional (SIN), o diretor de Geração, Transmissão e Operação para a Capital, Tarcísio Rosa disse que a Região Metropolitana irá contar com o dobro da atual oferta.

“Hoje, Manaus conta com uma demanda de 1.300 MW para uma oferta de 1.600 MW. Com a chegada do ‘linhão’ de Tucurruí, vamos ganhar mais 1.800 MW. Ou seja, vamos dobrar a oferta de energia elétrica já existente”, destacou.

Já no interior do Estado, os investimentos vão de novas interligações que abrangem a região do médio rio Amazonas (Itacoatiara, Silves, Itapiranga, SãoSebastião do Uatumã, Urucará e Rio Preto da Eva) até a construção de novas usinas a gás natural.

“Estamos em fase de conclusão das usinas a gás natural nos municípios de Anori, Anamã, Caapiranga e Codajás. Além disso, a empresa vem investindo pesado no aumento de geração e em obras na distribuição de energia elétrica em vários municípios”, disse o diretor de Geração e Operação para o Interior da Eletrobras Amazonas Energia, Radyr Oliveira.

Ainda durante a audiência, o representante da Federação das Indústrias do Amazonas (Fieam), Flávio Dutra, destacou a relação do setor industrial de Manaus com a Eletrobras Amazonas Energia.

“Queremos ressaltar que o Polo Industrial de Manaus (PIM) que é o principal cliente da empresa, vem recebendo, sempre que precisa, um bom atendimento por parte da Eletrobras Amazonas Energia. E a atual diretoria tem se demonstrado parceira no diálogo conosco, o que nos transparece confiança e segurança no trabalho que vem sendo feito”, declarou.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.