Publicidade
Manaus
Novembro Azul: Um toque que salva vidas

Câncer de próstata é o mais comum entre os amazonenses

Campanha, que inicia hoje, busca conscientizar homens sobre a importância de fazer exames preventivos 01/11/2016 às 05:00
Show cid novembro azul no samsung instituto de desenvolvimento de inform tica para amaz nia   divulga  o
Durante todo o mês serão realizados eventos em alusão a campanha. Na foto, funcionários do Samsung Instituto de Desenvolvimento de Informática para Amazônia (Foto: divulgação)
Silane Souza Manaus (AM)

O câncer de próstata é o mais comum entre os  amazonenses. Este ano, 520 novos casos da doença serão registrados no Estado, 330 só em Manaus, de acordo com estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Exames frequentes são fundamentais para que a doença  seja descoberta precocemente. E fazer o exame de toque retal  é uma das bandeiras levantadas pelo  Novembro Azul, campanha de conscientização com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata que começa hoje em todo o Brasil. 

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas, quando os sinais começam, quase 95% dos tumores se apresentam avançados, sendo muito difícil a cura. “É uma doença assintomática. A pessoa sente o sintoma quando está na fase avançada e na maioria dos casos não tem mais cura. Só tem tratamento paliativo, que melhora a qualidade de vida do doente aliviando o sofrimento imposto pela doença. Por isso nossa preocupação em divulgar o Novembro Azul tem o intuito de disseminar  informações”, afirma o urologista Ítalo Cortez. 

Integrante da Sociedade Brasileira de Urologia, seccional Amazonas (SBU-AM), Ítalo Cortez explica que a detecção precoce  pode aumentar em 90% as chances de cura. Isso pode acontecer se os exames preventivos forem feitos regularmente. “O homem deve procurar um urologista a partir dos 50 anos, ou 45, se houver casos de câncer de próstata na família, ou ainda se for uma pessoa da raça negra ou obesa. Ele faz o PSA, que é um exame de sangue, e o toque retal, que demora de 10 a 15 segundos e não muda a masculinidade como muitos pensam”, explica.

Além dos  preventivos, há outras formas de se precaver da doença, como explica Cortez. Conforme ele, entre os fatores de risco está a alimentação inadequada à base de gordura animal e deficiente em frutas, verduras, legumes e grãos, o sedentarismo e a obesidade. “Praticar atividade física é fundamental, assim como ter uma alimentação saudável. Também há estudos científicos que mostram que quanto mais  relações sexuais o homem tiver menor é a chance de  desenvolver o câncer de próstata, pois  a ejaculação deixa a próstata mais ‘limpa’ na teoria”, afirma o médico.

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa aproximadamente  20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais frequente em homens, após os tumores de pele. Acontece quando as células deste órgão começam a se multiplicar de forma desordenada. A doença pode demorar a se manifestar, exigindo exames preventivos constantes para não ser descoberta em estágio avançado e potencialmente fatal.

Tratamento é feito de acordo com o  paciente

O tratamento da doença é determinado de acordo com o caso de cada paciente.  As principais formas de tratar o câncer de próstata são: acompanhamento clínico, em casos de doença de baixo risco, com crescimento lento; operação para retirada de toda a próstata; radioterapia, como alternativa à operação em alguns pacientes; tratamento com hormônios; e quimioterapia - em casos mais avançados.

Número
61,2  mil homens serão diagnosticados com câncer de próstata, este ano, em todo o Brasil, de acordo com estimativa do Inca. A projeção de 2015 a 2035 é que se mantenha a taxa de 30% de mortalidade entre os pacientes de câncer de próstata.

Mobilização em todos os setores
A Sociedade Brasileira de Urologia, seccional Amazonas (SBU-AM), vai realizar diversas ações dentro da programação “Novembro Azul”, entre elas um evento na Unidade Básica de Saúde Lourenço Borges, no bairro Japiim, Zona Sul, e outro no Hospital Universitário Getúlio Vargas, bairro Praça 14 de Janeiro, Zona Sul. “Na UBS Lourenço Braga devemos estar no dia 26 deste mês atendendo uma média de 100 a 150 pacientes previamente cadastrados pela unidade”, disse o médico urologista Ítalo Cortez.

O Samsung Instituto de Desenvolvimento de Informática para Amazônia (Sidia) vai oferecer neste mês aos funcionários consulta com urologista, ortopedista e dermatologista, exames de ultrassonografia das vias urinarias, abdômen e próstata e sessões de acupuntura. As atividades, realizadas na própria sede da empresa, fazem parte da programação da campanha “Novembro Azul”. O Sidia também vai adotar a cor azul no prédio, como forma de chamar atenção para a campanha. 

Para conscientizar a população sobre a importância da prevenção e do diagnóstico do câncer de próstata, a Faculdade Estácio também está programando uma série de atividades, organizadas por alunos do curso de Serviço Social. Entre as ações previstas estão palestras e distribuição de material informativo para o público interno e externo. A fachada da Estácio também vai receber iluminação na cor azul em apoio à campanha. 

A campanha
Novembro Azul é uma campanha criada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida e realizada por diversas entidades no mês de novembro. A ação é dirigida à sociedade e, em especial, aos homens, para conscientização a respeito de doenças masculinas, principalmente o câncer de próstata.

Apenas na edição de 2015, de acordo com o Instituto Lado a Lado pela Vida, o Novembro Azul, por meio de 463 ações,  impactou 87 milhões de pessoas em todo o Brasil. Nas ruas, foram 6,7 milhões de folhetos distribuídos, além de 50 mil apenas nas estradas para motoristas.

Publicidade
Publicidade