Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020
ENSINO MÉDIO

Novo currículo será feito a ‘muitas mãos’ no Amazonas

Consulta pública aberta até dia 15 de outubro pretende aprimorar currículo específico para o Estado



ensino_1F0BE3C3-4989-4060-B7B5-3D589F4F9EE6.JPG Ensino Médio tem nova base comum, agora terá conteúdo regional revisto. Foto: Michell Mello/Secom e Euzivaldo Queiroz
19/09/2020 às 11:25

Norteado pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o novo Ensino Médio permitirá que os alunos dêem mais atenção a conteúdos regionais antes pouco explorados nas salas de aula como a História e a Geografia do Amazonas.

A fim de alinhar a mudança, professores, gestores, técnicos, estudantes de licenciatura e sociedade civil tem a oportunidade de participar de uma Consulta Pública da Versão Preliminar do Currículo Amazonense – Etapa Ensino Médio para conhecer o documento e enviar as suas contribuições até o dia 15 de outubro.



Para especialistas em educação, é a partir da mudança, que ocorrerá no ano que vem em escolas públicas e particulares, que os alunos estudarão conteúdos mais voltados à região Norte e suas especificidades, o que impactará sobre a realização de vestibulares, por exemplo.

“Hoje, existem processos seriados que acontecem desde o primeiro até a terceira série do ensino médio é a Geografia e História do Amazonas que é cobrada efetivamente. Nós não podemos nos furtar enquanto escola de abordar nesse componente curricular esse tipo de aprofundamento por que ela tem uma utilidade nos processos seletivos até o presente momento”, explicou diretora de Supervisão das Escolas Idaam, Luciana Barbosa.

“Nós estamos aguardando após a consulta pública para que nós possamos redefinir o currículo para o ano que vem. Ele será implantado de maneira gradativa a começar do primeiro ano do Ensino Médio de 2021”, destacou ainda.

Além da formação básica, o novo ensino médio é composto pelos itinerários formativos os quais permitem que os estudantes escolham, conforme seu interesse, aprofundar e ampliar aprendizagens em uma ou mais Áreas de Conhecimento ou e/ou na Formação Técnica e Profissional. Nesse conjunto de atividades educacionais, o aluno também terá como foco as práticas vivenciadas na região.

“As disciplinas de História e Geografia do Amazonas ganharão corpo e aumentarão a carga horária que até então, era limitada. Nós teremos uma Biologia explorando cada vez mais o nosso contexto, por exemplo. E quando falamos da carga horária complementar, em que o aluno poderá optar suas atividades, a gente pode trazer uma carga horária com cursos técnicos e a questão do empreendedorismo que vai atender o que esse aluno anseia”, explicou a orientadora educacional Ludmylla Rodon.

Consulta Pública

Professores, gestores, técnicos, estudantes de licenciatura e sociedade civil podem participar da Consulta Pública da Versão Preliminar do Currículo Amazonense – Etapa Ensino Médio, através do site https://pt.surveymonkey.com/r/consultapublica-seduc e clicar no banner Consulta Pública Currículo Amazonense Ensino Médio. O prazo para consulta vai até o dia 15 de outubro.

Na prática, o documento tem por objetivo possibilitar a contribuição da sociedade civil e comunidade escolar na construção coletiva do Currículo Amazonense – Ensino Médio, permitindo que este atenda às expectativas e às necessidades da região Norte, considerando as especificidades que permeiam a população amazônida.

A Consulta Pública garante uma maior participação da comunidade escolar no processo. Ao finalizar o prazo, a equipe da pasta irá consolidar o material e encaminhá-lo ao Conselho Estadual de Educação (CEE), que será o responsável pela provação.

Equipe de redatores elaborou versão preliminar

A Versão Preliminar do Currículo Amazonense para o Ensino Médio foi elaborada por uma equipe de redatores nas áreas de Conhecimento: Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e Ciências da Natureza, que teve a preocupação de trazer um texto introdutório com todas as partes que compõem o documento, contemplando pontos importantes para a leitura, reflexão e contribuição da sociedade civil.

Além disso, incluiu os organizadores curriculares, apresentando as unidades temáticas, os objetos de conhecimento, as competências e as habilidades que perpassam as Áreas de Conhecimento e/ou os componentes curriculares.

Pontos

# A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o Ensino Médio deverá ser adotado por todas as escolas do País até 2022.

# A BNCC foi construída a partir de mais de 44 mil contribuições. O documento foi homologado em 4 de dezembro de 2018.

# A Base Nacional define o mínimo que deverá ser aprendido pelos estudantes de todo o país no ensino infantil, fundamental e médio.

# Até então, não existia um “currículo nacional”. Cada estado/cidade definia os conteúdos por conta própria.

# O texto nacional determina que 40% do Ensino Médio seja estruturado em quatro eixos: empreendedorismo, investigação científica, processos criativos e mediação/intervenção sociocultural.

# Na etapa estadual, em curso atualmente, serão definidos os conteúdos específicos de cada Estado do País para os outros 60% do tempo de aula do Ensino Médio.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.