Publicidade
Manaus
Empreendedorismo

Novo investidores surgem como opção de ajuda para empreendedores

Investidores-anjo são pessoas físicas que investem uma parcela de seu capital disponível em empreendimentos Startup 03/09/2016 às 20:59 - Atualizado em 04/09/2016 às 08:44
Show investidor2
Antônio Júnior está apoia o movimento local de Startups (Foto: Aguilar Abecassis)
Rebeca Mota Manaus (AM)

A falta de dinheiro para tirar uma ideia do papel é algo que assusta muitos empreendedores, que muitas vezes recorrem a empréstimos com juros que o negócio não suporta. Em função disso, os investidores-anjos ajudam para o desenvolvimento de uma determinada empresa, pois estão em busca de apostar seus investimentos, criando uma nova ‘profissão’ no mercado.
 
Os investidores anjo são pessoas físicas que investem uma parcela de seu capital disponível em empreendimentos 'startup' em troca de uma participação acionária preferencial, com vistas a promover a valorização do mesmo e sua venda (saída) para realização do seu retorno.
 
Antônio Junior Pinheiro, 29, é um investidor-anjo há dois anos que apóia o movimento local de Startups, com promoção de eventos, participações como mentor e jurado e além de patrocinar a Startup Weekend e outros eventos de suas empresas.
 
Segundo Antônio, qualquer pessoa pode ser um investidor desde que tenha capital disponível. “Em teoria qualquer tipo de profissional, empresário, empreendedor, executivo pode ser um Investidor Anjo. É algo feito por uma pessoa física, então  independe se você já possui alguma atividade econômica que exerce”, conta.
 
O investidor, nesse aspecto, apesar de não exercer atividade direta na empresa, é considerado um importante mentor para as startups, não se restringido apenas ao aporte financeiro. “Economicamente ele ajuda de diversas outras formas como mentorias e networking, o que leva naturalmente aos investidores procurarem segmentos em que possuem algum nível de habilidade e conhecimento. Muitas vezes um contato, contrato ou parceria possivelmente viabilizado tem um valor econômico superior ao valor investido”, ressalta Pinheiro.
 
Para ele, a vontade maior é ver o cenário manauara se desenvolver como um todo, atingir uma auto-eficiência nesse aspecto,e  tornar a cidade ao longo prazo mais atrativa para Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), além de alcançar mais investimentos internacionais. E algumas das empresas que investe é o ‘PraQueRumo’, o ‘TimoKids’ e a ‘Microcervejaria’  em Ellon, na Escócia.
 
Antônio Júnior diz que os valores a serem investidos dependem de muitos fatores, um dos principais é o estágio no qual a Startup se encontra. “Conforme o desenvolvimento que a empresa está interfere no valor investido, o que pode ser desde um ‘Capital Semente’ (estágio inicial) entre 20 a 50 mil reais, ou valores de 100 mil a um milhão de reais, ou a mais caso ela estiver precisando escalonar o produto”, menciona.
 
Já o investidor-anjo Daniel Goettenauer, 33, é sócio da Fabriq e do Cadume Coworking e investiu na Gaty Delivery. Tendo começado a investir em 2012, Daniel é formado em Análise de Sistema e atua como gerente de Projetos.
 
Para ele, a área mais cobiçada para ser investidor é na área da Tecnologia e os investidores sempre traçam o perfil das empresas que eles querem investir. “Geralmente, buscamos pessoas com o perfil empreendedor e também empresa tenha uma curva de crescimento interessante que demonstre fração. Um ano fatura cinco mil, outro 10 mil e desta forma possa ir sem desenvolvendo”, destaca Goettenauer.

Saiba Mais

O investidor–anjo Daniel Goettenauer está criando em Manaus em parceria com outros amigos o Clube de Investidores. O clube é destinado a Investidores e empreendedores, o que permite que pequenos aplicadores  individuais co-invistam em startups com investidores anjo experientes.
 
O Clube permite que pessoas invistam em startups conjuntamente com investidores-anjos experientes, cada um deles liderando um clube de investimentos. A principal função do líder dos clubes de investimentos (o investidor-anjo) é encontrar startups atrativas, fazer a diligência da oportunidade de investimento, negociar os termos de investimento e então dar acesso aos membros do clube às startups selecionadas. Em retribuição a seu trabalho, os líderes dos clubes de investimentos recebem uma taxa de administração, que consiste num percentual da venda da startup, quando e se ocorrer.

Daniel explica a diferença do investidor anjo de outros investidores individuais. É que por vezes investem apenas capital em empresas emergentes e de fundos de capital de risco, ‘semente’ e outros, que investem em empreendimentos já estruturados, é que o anjo, primeiro, investe apenas em oportunidades em um raio de até 200 quilômetros de sua residência. “Isso em função de sua principal característica definidora, ou seja, o fato que o anjo participa ativamente da gestão do negócio junto com o empreendedor, fazendo uso de sua expertise técnica e experiência profissional e empresarial, e alavanca sua rede de relacionamentos para contribuir com o deslanche e o crescimento inicial do empreendimento”, diz.

10 Dicas para ser um bom investidor-anjo

 

1.    Observe a empresa antes de investir;

2.    Invista nos segmentos que você conhece;

3.    Invista na empresa que tenha um líder com potencial;

4.    Empreendedores de sucesso têm características em comum;

5.    Reserve capital para novas rodadas;

6.    Procure grandes mercados;

7.    Fique atento aos números mais importantes de uma empresa;

8.    Planeje estrategicamente seus investimentos;

9.    Tenha controle nos investimentos.

 

Fonte: Ilana Grossman, principal executiva de marketing (CMO) da Gust (Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios)

Publicidade
Publicidade