Terça-feira, 18 de Junho de 2019
Manaus

Novos barracos são erguidos na invasão José Melo no Distrito Industrial em Manaus

Nem os conflitos entre os ocupantes e a polícia durante a reintegração de posse, ocorrida no último dia 16 de abril, impediu que a área voltasse a ser invadida



1.gif Sem nenhuma fiscalização dos órgãos responsáveis, durante todo o domingo várias pessoas erguiam casebres na invasão
04/05/2015 às 12:41

A manhã deste domingo (3) foi dia de erguer os barracos na invasão José Melo, no Distrito Industrial 2, Zona Leste. Nem os conflitos entre os ocupantes e a polícia durante a reintegração de posse, ocorrida no último dia 16 de abril, impediu que a área voltasse a ser invadida. Uma semana depois da ação, A CRÍTICA mostrou que os invasores estavam cumprindo a promessa de retornar ao local. Ontem a equipe de reportagem esteve novamente na invasão e flagrou pequenos comerciantes vendendo café da manhã, peixe assado e até cachaça.

Famílias inteiras chegavam a pé carregando enxadas, machados, bocas-de-lobo e outras ferramentas. Outros chegavam de carros, estacionavam e iam trabalhar nas áreas demarcadas por eles mesmos. Um casal passava com uma prancheta anotando os nomes dos invasores. A área possui aproximadamente 160 mil metros quadrados e pertence à Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e a uma empresa privada.

Toda a extensão da avenida Flamboyant está demarcada novamente com madeira, árvores e fitas. Alguns terrenos possuem placas com os nomes dos respectivos donos. Muitos barracos também já foram erguidos. Uma moradora da área disse que é no final de semana que eles trabalham para construir os barracos.

Reintegração

No dia 16 de abril, equipes do Comando de Policiamento Especial (CPE), da Ronda Cândido Mariano (Rocam), Tropa de Choque, Batalhão Ambiental, Força Tática e Polícia Federal cumpriram reintegração de posse na comunidade José Melo, retirando aproximadamente de 5,5 mil famílias da área.

A operação começou pacífica, mas, por volta das 7h30, algumas famílias se rebelaram. Durante a derrubada dos barracos, os ocupantes resistiram, atirando pedras e paus em direção à polícia, que reagiu, usando balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo.

Durante a reintegração de posse, o delegado do Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Frederico Mendes, informou que a polícia estava trabalhando na identificação dos líderes das invasões. O delegado prometeu reunir informações e encaminhar ao Centro de Apoio Operacional de Combate ao Crime Organizado (CAO-Crimo) e ao Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.