Quarta-feira, 22 de Maio de 2019
H1N1

Sobe para 28 o número de mortes por H1N1 no Amazonas; 110 casos confirmados

Dos óbitos pela doença, 22 ocorreram em Manaus, dois em Manacapuru, e um caso cada município a seguir: Parintins, Itacoatiara, Japurá e Nhamundá



show_show_show_1010068-04042016-_abr0971_1_89A8F4AC-D66F-4483-9E4B-30768036A46F.jpg
Foto: Arquivo A Crítica
21/03/2019 às 09:35

Subiu para 28 o número de mortes confirmadas pelos Vírus da Influenza A (H1N1) no Amazonas, conforme a 11ª edição do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) atualizada nesta quarta-feira (20) pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM). Além disso, foram notificados 721 casos, sendo 110 confirmados para H1N1 e 96 para o Vírus Sincicial Respiratório (SRV).

Dos óbitos pela doença, 22 ocorreram em Manaus, dois em Manacapuru, e um caso cada município a seguir: Parintins, Itacoatiara, Japurá e Nhamundá. Segundo o boletim, são dez óbitos por Vírus Sincicial Respiratório, sendo nove na capital e um de Borba, além de um óbito em Manaus por Parainfluenza tipo 3.

Em relação aos pacientes que evoluíram para óbitos dos 39 ocorridos neste período entre fevereiro e março, 77% faziam parte do grupo de risco mais vulnerável para formas graves, com destaque para crianças menores de cinco anos, idosos, pessoas com diabetes, pneumopatas, pessoas com obesidade e neuropatas.

A campanha de vacinação contra a Influenza (H1N1) no Amazonas começou ontem (20) em Manaus e mais 33 municípios. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Susam), as vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde no último fim de semana já foram entregues pela Coordenação Estadual do Programa Nacional de Imunização (PNI/AM) a 59 municípios. Tonantins e Benjamin Constant recebem nesta quinta (21) completando a entrega.

Grupos prioritários

O público-alvo da campanha é formado por crianças de 6 meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias, gestantes, profissionais de saúde e educação da rede pública e privada, indígenas, idosos com mais de 60 anos, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis; as portadoras de outras condições clínicas especiais como doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias (Síndrome de Down, Síndrome de Edward, Síndrome de Patau, Síndrome de Warkany).

Salas de imunização

Em todo o Estado, são 1.535 salas de imunização espalhadas nos 62 municípios do Estado. Cada prefeitura municipal define os locais de vacinação. A Susam destacou 12 Centros de Atenção Integral à Criança (CAIC) e três Centros de Atenção Integral à Melhor Idade (CAIMI), de 8 às 17h, para vacinar os públicos específicos.

Na capital, a vacinação acontece nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), no Parque do Idoso, na sede da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI) e nas Centrais de Distribuição do Leite do Meu Filho (veja abaixo os endereços). Além disso, 30 UBSs na capital vão funcionar com horário diferenciado em todas as zonas da cidade: são dez que já atendem de segunda a sexta, de 7h às 21h, e aos sábados, de 8h às 12h, e mais 20 com horário de 7h às 19h, de segunda a sexta, e de 8h às 12h, no sábado. 

*Com informações da assessoria de imprensa


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.