Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
CLÍNICO GERAL

Julgamento de médico acusado de estuprar pacientes em UPA é adiado para 2020

O clínico geral Júlio Adriano da Rocha Carvalho foi denunciado pelo Ministério Público à Justiça pelo estupro de duas pacientes que procuraram atendimento na UPA Campos Sales em abril deste ano.



M_DICO_CED573ED-8DA9-4687-9F8F-40B60F9FC2C1.JPG Foto: Reprodução
13/11/2019 às 12:09

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) adiou para o dia 29 de abril de 2020 o julgamento do clínico geral Júlio Adriano da Rocha Carvalho, 33 anos, acusado pelo Ministério Público Estadual (MPE - AM) de estuprar duas pacientes durante atendimento na Unidade Pronto Atendimento (UPA) Campos Sales, localizada no bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus. A audiência seria realizada na manhã desta quarta-feira (13), às 10h, na 7ª Vara Criminal, situada no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, zona Centro – Sul.    

Os estupros teriam ocorrido em abril deste ano. Estima-se que cinco mulheres foram vítimas do médico. As vítimas relataram que o clínico geral aproveitava da condição de pacientes delas para aliciá-las durante a avaliação clínica no consultório que era trancado por Júlio assim que adentravam no lugar. Uma das mulheres afirmou, ainda, que o médico tentou penetrá-la durante a anamnese.



Após o fato, as vitimas procuraram o 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP) onde um Inquérito Policial (IP) foi instaurado.  No dia 5 de abril deste ano, o Ministério Público Estadual (MPE-AM) denunciou o clínico geral à Justiça. A denúncia foi assinada pelo promotor de Justiça da 7ª Vara Criminal, Ednaldo Medeiros, e recebida pela juíza Careen Aguiar, que determinou que o médico fosse afastado das suas funções e monitorado por meio de tornozeleira eletrônica.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.