Publicidade
Manaus
SEM RESPOSTAS

OAB quer ação da PF para solucionar assassinato de advogado em Manaus

Advogado e ex-deputado Armando Oliveira Freitas, de 79 anos, foi morto no dia 4 de maio no bairro Glória, Zona Oeste de Manaus. Instituição teme que crime caia no rol dos insolúveis 27/08/2018 às 21:11 - Atualizado em 28/08/2018 às 06:58
Show advoga 63df5a78 100e 4586 b54a beabde4f4925
Foto: Reprodução
Joana Queiroz Manaus (AM)

Passados quase quatro meses do assassinato do advogado e ex-deputado estadual Armando Oliveira Freitas, de 79, ocorrido no escritório de advocacia dele, na rua Presidente Dutra, bairro Glória, na Zona Oeste de Manaus, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AM) decidiu levar o caso à Câmara Federal e ainda vai solicitar que a Polícia Federal entre no caso para investigar o crime. Até hoje, a polícia não conseguiu prender o assassino.

A informação foi confirmada pelo presidente da Comissão de Prerrogativas da Ordem, Allan Johnny Feitosa da Fonseca, que justificou a ação dizendo que a instituição teme que o crime de Armando Freitas caia no rol dos insolúveis como aconteceu com o homicídio de outros três advogados: Ivan Costa Novo, em 2009, Marcelo Augusto Andrade Chaves e Jakson de Souza e Silva, ambos assassinados em 2015.

De acordo com Allan Johnny, a viagem à Brasília está marcada para o dia 18 de setembro. “Nós vamos solicitar a intervenção da Câmara dos Deputados, uma vez que trata-se de um ex-político, e tentar que a Polícia Federal entre nas investigações para elucidar o caso”, afirmou.

Desde que Freitas foi assassinado, a OAB vem acompanhando as investigações e fazendo ações para colaborar com o trabalho da Polícia Civil. Uma das primeiras medidas foi a elaboração e divulgação do retrato falado do suspeito.

Em julho, a Ordem ofereceu uma recompensa de R$ 5 mil por informações que levassem ao assassino do advogado e no início desse mês, a OAB dobrou o valor (R$ 10 mil). A decisão de aumentar a recompensa era levar a população a informar sobre a autoria do crime, já que o caso segue sem solução. “Um grupo de advogados conselheiros da OAB se reuniu para oferecer essa recompensa”, informou o presidente Marco Aurélio Choy.

“Até o momento, este caso vem entrando na lista dos homicídios do Amazonas que não foram resolvidos. Pensamos que, talvez, o valor de R$ 5 mil não fosse suficiente para nos trazer informações mais concretas e decidimos aumentar", explicou o presidente.

A direção da Ordem também solicitou ao procurador-geral do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), Fábio Monteiro, a designação de um promotor para acompanhar o caso e o promotor de Justiça Armando Amaral foi destacado para o caso.

Investigações em andamento

O delegado Jeff David Mac Donald, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), informou que todos os recursos para desvendar a morte do advogado Armando Oliveira Freitas, ocorrido em 4 de maio deste ano, estão sendo utilizados e que as diligências em torno do caso continuam em andamento.  

Ele explicou que no dia 25 de maio deste ano foi apresentado o retrato falado do homem que alvejou a vítima e falou sobre as linhas de investigação. Na ocasião, foi divulgado os vídeos contendo imagens do crime e também do carro utilizado pelo bandido para fugir. O veículo foi apreendido pelas equipes da especializada. Mac Donald destacou que outras informações não podem ser repassadas para não comprometer o trabalho investigativo.

Denúncias

O presidente da OAB-AM, Marco Aurélio Choy, apela para população no sentido de colaborar com as investigações que estão sendo feitas pela polícia. Informações sobre o paradeiro do assassino do advogado podem ser repassadas aos telefones (92) 99184-4434 ou pelo 181.

Publicidade
Publicidade