Terça-feira, 16 de Julho de 2019
CENTRO-SUL

Obra de academia ao ar livre no Passeio do Mindu é adiada para o ano de 2018

A academia era para ter sido entregue há três meses, mas até agora sequer foi iniciada a obra



OBRA_123.JPG Placa no local mostra valor e prazo para a construção da academia: apenas 90 dias - já se passaram 180 dias e nada. Foto: Winnetou Almeida
23/12/2017 às 09:31

Uma placa na área pública do Passeio do Mindu, na rua Samuel Benchimol, na Zona Centro-Sul de Manaus, informa os prazos de início e conclusão das obras de uma academia ao ar livre. Contudo, apesar do informativo, três meses após o fim do prazo de entrega, as obras sequer foram iniciadas.

Enquanto isso, moradores do entorno e de bairros adjacentes que são frequentadores do local reclamam da falta de compromisso da Prefeitura de Manaus com a população. “Até hoje a única ação que vi nesse local foi quando eles colocaram as placas, que já estão quase para cair”, lamentou a estudante universitária Wanessa Cardoso, 20, que caminha no passeio diariamente.

A obra, conforme a placa colocada na área que fica próxima ao Viaduto Miguel Arraes, era para ter sido iniciada no dia 2 de maio deste ano e o prazo de entregar era para ter sido no dia 31 de julho. No entanto, nada foi feito no local e os usuários ficam revoltados. “Quase três meses era o prazo para concluir a academia. Mas eles nem começaram a trabalhar. Mais uma enganação. Uma falta de respeito!”, disse a dona de casa Rosa Maria Sampaio, 44.

O estudante de enfermagem Luís Fernando Henrique Torres, 23, também criticou o atraso e lamentou a forma como as obras são prometidas e abandonadas. “É lamentável que o povo continue sendo tratado dessa forma desrespeitosa. Eles prometem, colocam placa informando, fazem uma grande circo, mas abandonam tudo como se fosse algo muito normal. Pois não é, entende?!”, disse.

Outra crítica dos frequentadores do Passeio do Mindu é sobre o abandono e a falta de manutenção das academias ao ar livre já existentes em outros pontos da cidade. Segundo o estudante Weslley Santos Lima, 26, a obra nem foi iniciada, mas já é motivo de preocupação. “Você como estão  a maioria das academias e você vai ter uma ideia do futuro dessa aqui. Vai ficar enferrujada e abandona, sem manutenção, porque eles só querem inaugurar e mostrar obra. Essa nem existe, mas a gente já se preocupa, sabe?”.

Abandono

Em novembro, A CRÍTICA publicou reportagem mostrando o estado de abandono de academias ao ar livre  de Manaus. Uma delas, inclusive, é a da Ponta Negra, localizada na Zona Oeste da cidade, que segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) faz parte do mesmo pacote de quatro academias ao ar livre de uma mesma licitação com recursos oriundos de emenda federal.

Prefeitura culpa Ministério do Esporte pelo atraso

A equipe de reportagem de A CRÍTICA entrou em contato com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) para questionar os motivos da obra estar parada. A Seminf informou que academia em questão faz parte de um pacote de quatro academias ao ar livre de uma mesma licitação com recursos oriundos de emenda federal. “Três delas já foram entregues nos seus prazos estimados: a da Ponta Negra, Nova República e Boulevard, restando a do Mindu, que ainda não foi entregue dentro por falta de repasse da verba pelo Ministério dos Esportes”, informou.

Ainda de acordo com a pasta, a previsão é de que até e fevereiro de 2018 a mesma seja entregue, caso o pagamento seja realizado. Mas não informou quando, de fato, as obras serão iniciadas no local.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.