Domingo, 21 de Julho de 2019
Manaus

Obra do 'Hospital do sangue' sofrerá seis meses de atraso

Prevista para inaugurar em 2014, unidade só ficará pronta em 2015



1.jpg Maquete do novo hospital do sangue que será construído onde hoje funciona o hospital psiquiátrico Eduardo Ribeiro
09/07/2013 às 09:50

Anunciado pelo Governo do Estado em junho do ano passado, o Hospital do Sangue deverá ser inaugurado com pelo menos seis meses de atraso. Inicialmente previsto para começar a funcionar no segundo semestre de 2014, o hospital deverá ser inaugurado somente no começo de 2015. O atraso se deu porque nenhuma empresa apresentou propostas válidas para a construção do hospital, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Susam).

Orçado em R$ 41 milhões, o novo hospital substituirá a atual Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam) que atua no tratamento de doenças sanguíneas. O projeto prevê a construção de um hospital modelo, que servirá de referência no tratamento de sangue para todos os Estados brasileiros.

Entre as novidades previstas na nova unidade hospitalar, está a construção de 143 novos leitos para crianças e adultos, Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e salas cirúrgicas com equipamentos especializados.

A primeira licitação para definir qual empresa seria responsável pela construção do prédio foi realizada no dia 10 de junho, mas nenhuma proposta apresentada foi considerada válida pela Susam. O novo edital de licitação foi publicado e a licitação está prevista para acontecer somente no dia 5 de agosto.

A assessoria de imprensa da Susam informou que apesar dos atrasos na licitação não haverá alteração na data prevista para o início das obras, estimada para o segundo semestre deste ano. A secretaria justifica que não há pendências burocráticas, em especial com os documentos necessários da Caixa Econômica Federal, que financiará 56% da obra.

De acordo com os trâmites legais, após o anúncio do resultado da licitação a empresa deverá ainda apresentar uma série de documentos exigidos para somente então fechar contrato com o Estado. As obras só serão autorizadas após a ordem de serviço ter sido concluída. O prazo para a entrega do hospital é de, pelo menos, 18 meses.

A nova unidade médica atenderá principalmente os portadores de doenças do sangue como leucemia e linfomas, além de pacientes hemofílicos, portadores de doenças hemorrágicas e de doenças anêmicas. A previsão é que o novo hospital atenda o dobro de pacientes recebidos hoje pela FHemoam.

Atendimentos
Durante o período de obras, os pacientes da fundação Hemoam vão permanecer recebendo atendimento normalmente no local, segundo o Estado.

De acordo com a assessoria de imprensa da fundação, o projeto básico do novo hospital prevê a anexação do atual prédio da FHemoam ao novo hospital apenas na fase final do projeto. A medida tem como objetivo dificultar atrasos ou transtornos nos atendimentos aos pacientes.

Outras dez unidades em construção
Outras dez obras entre construções hospitalares e reformas de unidade de saúde estão previstas para serem entregues pela Susam. Entre as obras mais esperadas está o Hospital da Zona Norte, sem previsão para ser inaugurado.

A unidade será construída na área do Parque de Exposições Agropecuárias Eurípedes Lins, onde funcionava a feira da Expoagro. O novo hospital atenderá adultos e crianças e oferecerá serviços de alta complexidade, contará com 300 leitos e custará R$ 200 milhões aos cofres públicos.

As maternidades Balbina Mestrinho e Nazira Daou também irão sofrer reformas. As novas instalações da maternidade Balbina Mestrinho custarão R$ 15 milhões, R$ 9 milhões de recursos do Estado.

O projeto que transformará a materidade Nazira Daou em maternidade e Hospital da Mulher ainda está em fase de elaboração para ser levado à licitação.

Segundo estimativa dos técnicos da Susam, o novo prédio receberá os atendimentos na área de ginecologia que hoje são realizados no hospital Francisca Mendes. O valor da obra também não foi calculado.

18 Milhões de reais é o valor da contrapartida que será paga pelo Governo do Estado para a construção do Hospital do Sangue. O valor equivale apenas a 44% dos gastos com a construção do hospital. O restante do montante, de R$ 41 milhões, será financiado pelo governo federal por meio da Caixa Econômica Federal.

Dependentes químicos

O Amazonas ganhará o primeiro Centro de Tratamento para Dependentes Químicos ainda este ano. A expectativa é da Secretaria Estadual de Saúde (Susam), que ainda não divulgou data para a inauguração do local. A unidade atenderá até 120 pessoas e funcionará na rodovia AM-010, que liga Manaus a Itacoatiara. Durante 90 dias, crianças, adultos e adolescentes que são dependentes químicos de drogas e álcool receberão tratamento especializado. O tratamento ocorre em período de internação. Apenas o investimento da construção da obra está orçada em R$ 15 milhões.

Pontos
O novo Hospital do Sangue terá 14 mil metros quadrados de área; Vinte dos 140 leitos serão exclusivos para transfusão de sangue;Seis leitos para pediatria na Unidade de Tratamento Intensivo;Vinte leitos serão destinados para tratamentos psiquiátricos;O hospital contará com serviço de radiologia, tomografia e radioterapia;Ultrassonografia, fisioterapia, quimioterapia também terão áreas diferenciadas no novo hospital; Duas salas cirurgicas para a realização de transplantes e demais ações serão construídas;Os pesquisadores e estudiosos de doenças do sangue também terão espaços reservados, segundo consta no projeto-base do hospital;

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.