Terça-feira, 18 de Junho de 2019
Manaus

Obra no Parque Ponta Negra entra na reta final

Essa segunda etapa custará R$ 27 milhões, financiados pela Corporação Andina de Fomento (CAF)



1.jpg Os outros 200 metros de praia perene e as alças da nova rotatória em frente à Estrada do Turismo estarão prontos no momento da inauguração
29/11/2013 às 15:53

A segunda etapa do Parque Ponta Negra deverá ser entregue na semana do Natal. Nesse momento, a empresa responsável pela obra trabalha na construção dos boxes e dos mirantes. O calçadão, com 17 mil metros quadrados de pedras portuguesas inspirado no piso do Largo de São Sebastião, já foi concluído.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), a expectativa do prefeito Arthur Neto é que até a última semana do ano aquele espaço, que está fechado há quase quatro anos, seja reaberto. Essa segunda etapa custará R$ 27 milhões, financiados pela Corporação Andina de Fomento (CAF).

Esse custo contempla equipamentos urbanos como dois mirantes, uma torre de observação, dois restaurantes, três quadras de vôlei, calçadões interligado com a praia, praça de artesanato, banheiro, estacionamento, e uma rotatória com chafariz semelhante à que foi construída na primeira etapa.

A praça com a Feira do Artesanato, com capacidade para 40 boxes, está na fase final, assim como o calçadão. Os outros 200 metros de praia perene e as alças da nova rotatória em frente à Estrada do Turismo estarão prontos no momento da inauguração. Na primeira etapa da reforma, foi entregue o anfiteatro, escadaria, passarela, praça na rotatória com chafariz e espelho d’água, com fonte que funciona com música e iluminação a LED. A Ponta Negra ganhou ainda novos estacionamentos e jardins.

População

Para os admiradores daquele espaço da cidade, a demora nas obras é lamentável. “Se a gente for pensar, só temos a Ponta Negra como espaço público para fazer um passeio com a família e se quiser tomar um banho de rio”, comentou o comerciário Pedro Andrade Lima, 40, que está de férias e por isso podia ir num dia de semana passear para, como ele disse, ver o Rio Negro.

“É bonito apreciar esse rio, por isso é um crime começarem uma obra como essas, com custo altíssimo, e não terminarem nunca, privando os cidadãos do seu patrimônio natural”, criticou.

Outro que espera a abertura daquele espaço é o estudante Ronaldo Simões, 18, que costumava jogar vôlei nas quadras existentes. Para ele, Ponta Negra é sinônimo de praticar esportes, por isso só pensa nos espaços que serão destinados às atividades esportivas. “Vinha toda semana aqui para jogar com os amigos, agora ficamos só na saudade”, lamentou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.