Publicidade
Manaus
Manaus

Obras da Arena da Amazônia receberão aditivo de R$ 54 milhões

Custo de construção do estádio que sediará quatro jogos da Copa de 2014 passou de R$ 550 milhões para R$ 605 milhões 25/07/2013 às 08:09
Show 1
A Unidade Gestora da Copa do Mundo em Manaus afirma que as obras da Arena da Amazônia serão concluídas em dezembro e que o aditivo será pago como contrapartida
LÚCIO PINHEIRO Manaus

O coordenador da Unidade Gestora do Projeto Copa (UGP Copa), Miguel Capobiango, disse, nessa quarta-feira (24), que o aditivo de R$ 54,4 milhões na obra da Arena da Amazônia será assumido pelo Governo do Amazonas como contrapartida do Estado. “Não vai entrar no financiamento com o BNDES”, afirmou Capobiango.

Com o aditivo de R$ 54,4 milhões, sobe para R$ 100 milhões a contrapartida do Estado na obra orçada, agora, em R$ 605 milhões. Os R$ 505 milhões restantes para a construção do estádio onde serão realizados quatro jogos da Copa de 2014 foram adquiridos por meio de financiamentos junto ao BNDES (R$ 400 milhões) e Caixa Econômica Federal (R$ 105 milhões)”.


Capobiango disse que para concluir as arquibancadas do estádio no prazo (maio desse ano) foi preciso acelerar o cronograma de trabalho para permitir serviços mesmo durante o período chuvoso. Para isso, foi necessário trabalhar com estruturas de concreto pré-moldadas. Segundo o coordenador da UGP Copa, a mudança de engenharia tornou a obra mais cara. “Aumentou bastante o volume de concreto”, disse Capobiango.

Segundo o coordenador da UGP Copa, após a Andrade Gutierrez apresentar o novo cronograma ao Governo do Estado, o governador Omar Aziz (PSD) mandou a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) pedir a aprovação do aditivo ao Tribunal de Contas da União (TCU).

“Depois de todas essas avaliações, o TCU viu que não houve alteração de custo unitário na obra, e agora sinalizou positivo, aceitando as alterações de engenharia”, comentou Capobiango. A decisão do TCU foi publicada no dia 17 de julho, em um relatório de acompanhamento.

Capobiango disse que, até o momento, não há sinal de que  haverá outros aditivos à obra. O coordenador informou, ontem, que nos próximos dias o Governo deve assinar com a empresa Andrade Gutierrez o contrato para oficializar o ajuste.

Em 2012, em mais de uma ocasião, o governado declarou que não pagaria um centavo a mais à Andrade Gutierrez pela obra da Arena da Amazonia.

No dia 17 de julho,  representantes do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo, Ricardo Trade, e da Federação Internacional de Futebol (Fifa) no Brasil, Ron DelMont, visitaram as obras da arena. E participaram de reunião com o governador Omar Aziz e  o prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB).

Dívida de 20 anos.

Publicidade
Publicidade