Terça-feira, 04 de Agosto de 2020
INFRAESTRUTURA

Obras de recuperação viária no Distrito Industrial devem voltar até fim de junho, diz secretário

Titular da Seminf, Kelton Aguiar alegou que projeto, que é objeto de convênio de R$ 150 milhões entre a Prefeitura de Manaus e a Suframa, precisa de aprovação da autarquia federal para avançar



WhatsApp_Image_2020-06-09_at_16.40.27_094BD19F-3133-445F-962B-9139CD414425.jpeg Foto: Arquivo/A Crítica
09/06/2020 às 16:41

Durante sessão plenária virtual da Câmara Municipal de Manaus (CMM), na manhã desta terça-feira (9), o secretário municipal de infraestrutura, Kelton Aguiar, afirmou que as obras de recuperação viária no Distrito Industrial devem ser retomadas até o final de junho. 

Kelton Aguiar disse que todas as alterações técnicas solicitadas pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) foram atendidas e que, mesmo sendo rígidas, a secretaria está trabalhando nas justificativas do projeto que seriam a última etapa para aprovação e disse que logo as obras devem retornar.



O convite para a representação do secretário partiu do vereador Marcel Alexandre (PHS). Na ocasião, ele ouviu demandas dos vereadores e respondeu dúvidas dos parlamentares a respeito dos projetos da secretaria.

Da base de prefeito, o vereador Wallace Oliveira (Pros) questionou ao secretário qual seria o planejamento para as obras no bairro Distrito Industrial, na Zona Sul. Desde o dia 20 de dezembro de 2019, as obras encontram-se paralisadas.

“Tem alguns serviços que a Suframa tecnicamente acha melhor fazer alguma modificação e coisas pequenas. Mas, de uma certa forma, não tem jeito: a gente tem que ter a permissão deles”, declarou. 

Reuniões semanais com representantes da Suframa definem o futuro das obras. O secretário informou que vem se reunindo com o órgão e apresenta as alterações solicitadas.

“Nós já temos as justificativas e já vamos passar para eles. Acreditamos que até o final desse mês nós possamos chegar ao denominador comum justamente para que as obras sejam tomadas. É a minha previsão”, disse.

Segundo Aguiar, essas ‘situações técnicas’ são um dos motivos para a obra o ter sido paralisada. “Tivemos parada técnica em virtude todas as alterações necessárias. Nós não temos autonomia de mandar as pessoas executarem sem a autorização”, alegou.

O presidente da CMM, Joelson Silva (Patriota), disse que grande maioria da população desconhece os processos da Suframa e que muita das vezes foge da capacidade dos pares resolver certas situações.

O vereador Amauri Colares (PRB) sugeriu que o secretário estabelecesse um assessor para ser um canal direto entre a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) e os vereadores.

O projeto para recuperação das ruas do Distrito Industrial é objeto de convênio de R$ 150 milhões entre a Prefeitura de Manaus e a Suframa. No último dia 6, A Crítica esteve nas ruas Rio Quixito, Mária Andreazza e Buriti e constatou um festival de buracos, ausência de meio-fio e falta de manutenção de bueiros.

A rua Rio Quixito abriga indústrias como a produtora de amortecedores Showa do Brasil, Amazongás, Fogás, além da refinaria Isaac Sabbá (Reman) da Petrobrás. De uma ponta à outra, a via tem crateras que impedem a circulação normal dos veículos que abastecem essas indústrias. No cronograma da Prefeitura, essa via receberia serviços de asfaltamento no terceiro e último lote do convênio, no final do ano passado.

Em nota, a Suframa disse que as obras estão paradas por determinação da Prefeitura, “conforme se verifica em publicação no Diário Oficial do Município (DOM) do dia 9 de janeiro de 2020, situação que se observa até a presente data”, diz.

Desde aquela data, a Suframa diz que tem solicitado à Seminf a atualização das informações técnicas sobre as obras para que possa autorizar o pagamento, além das informações necessárias e a emissão de parecer favorável, mas ainda não foram apresentadas corretamente.

A nota segue dizendo que as análises técnicas da Suframa têm por objetivo garantir a exatidão dos orçamentos apresentados no projeto de engenharia e a correta aplicação dos recursos públicos, assim como assegurar a qualidade e vida útil da obra.

“A previsão inicial para término das obras de revitalização do sistema viário do Distrito Industrial I de Manaus era 11 de abril de 2020, porém as dificuldades de apresentação das informações técnicas, oportunas e corretas, à Suframa, além das implicações decorrentes da pandemia da Covid-19, tem retardado sua retomada”, salienta.

A nota finaliza dizendo que a Suframa tem atuado de forma proativa e colaborativa, diante da percepção das dificuldades da Seminf, realizando várias reuniões com a equipe técnica da Secretaria Municipal, orientando sobre como proceder para corrigir as impropriedades técnicas visando a garantir a correta execução das obras e realizar entregas satisfatórias à sociedade.

Maria Luiza Dacio
Repórter do Caderno A do Jornal A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.