Publicidade
Manaus
Manaus

Ocupação dos espaços públicos virou ‘epidemia’ em Manaus

Basta meia hora circulando pelos bairros de Manaus para encontrar dezenas de irregularidades que chegam a ser absurdas 04/10/2014 às 09:42
Show 1
Os exemplos de irregularidades parecem não ter fim
jéssica vasconcelos ---

As calçadas sendo ocupadas por ambulantes, veículos e materiais de construção viraram uma rotina, mas a situação é ainda pior quando o pedestre precisa disputar espaço também na rua. Basta meia hora circulando pelos bairros de Manaus para encontrar dezenas de irregularidades que chegam a ser absurdas.

Na avenida Autaz Mirim, Zona Leste, por exemplo, uma loja de restauro de sofás expõe os produtos na rua e os pedestres fazem verdadeiros zigue zagues para conseguir caminhar. De acordo com a aposentada Isis de Almeida, 68, a situação é ainda pior quando o proprietário ocupa a calçada e a rua com os sofás. “Eles se sentem os verdadeiros donos da rua e as pessoas que se virem para conseguir passar”, disse Isis.

Na rua Areial, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste, uma banca de café da manhã colocou ferros na rua para fazer uma cobertura. Segundo o empresário Almir de Souza, 41, quando a banca é retirada no final da manhã os ferros continuam no local atrapalhando também os motoristas que passam por lá.

Os exemplos de irregularidades parecem não ter fim. Na rua Brigadeiro Hilário Gurjão, a famosa “Rua do Fuxico”, onde há diversas distribuidoras de alimentos, as vagas de estacionamento são disputadas a todo momento e para conseguir guardar um espaço para os caminhões descarregarem vale colocar cones, carrinhos de mercadoria e ficar em pé para que ninguém ocupe a vaga.

Outro local onde os moradores reclamam de ocupação irregular fica localizado na avenida Itaúba, também na Zona Leste, onde uma pessoa transformou um contêiner em lanche.


O contêiner colocado na rua há pelo menos quatro meses segundo os moradores tem sido motivo constante de reclamação, tanto de quem precisa caminhar pelo local quanto dos comerciantes do lado que não conseguem ser vistos.

De acordo com a empregada doméstica Terezinha Augusta de Lima o contêiner foi colocado no local e ninguém pediu para que fosse retirado. “Ele está aí e as pessoas já estão acostumadas a passarem pela rua e desviar do contêiner”, disse Terezinha.

Nessa mesma avenida os lanches nas calçadas se espalham sem que haja qualquer tipo de fiscalização dos órgãos responsáveis pelo ordenamento da cidade.

Punições previstas no plano

 De acordo com o Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), o Plano Diretor de Manaus prevê várias sanções para obstrução de logradouro público, de notificações a multas, até apreensão de material e outras medidas cabíveis. O valor da multa aplicada vai depender do tipo de irregularidade encontrada, pois as pessoas sabem que os passeios públicos devem ser livres para pedestres.

Ainda de acordo com o Implurb para denunciar, o melhor é ligar no DISK ORDEM, no 161, que funciona em horário comercial ou enviar email para disk.ordem@pmm.am.gov.br.

Em todas as zonas

Os exemplos de pessoas que se sentem donos da rua não são exclusividade das Zonas Leste e Norte. Na Manaus Moderna além dos problemas habituais enfrentados pelos frequentadores a rua é ocupada por mercadorias e pessoas que por conta própria decidem fazer desse espaço garagem particular.

Publicidade
Publicidade