Publicidade
Manaus
Manaus

Oito bairros de Manaus não registram homicídios nos primeiros seis meses de 2013

A capital amazonense, com aproximadamente 2 milhões de habitantes, fechou os primeiros seis meses do ano com 347 homicídios, o que representa uma taxa de 22 casos por 100 mil moradores. 11 outros bairros registraram apenas um assassinato cada 05/09/2013 às 16:51
Show 1
O estudo da SSP-AM aponta ainda que é forte a concentração das ocorrências de homicídios na capital
acritica.com* Manaus (AM)

Os dados do Anuário Estatístico da Secretária de Segurança Pública (SSP) divulgados nesta quinta-feira (5) revelam que oito bairros de Manaus não registraram assassinatos no primeiro semestre de 2013. Quatro deles ficam localizados na Zona Centro-Sul - considerada área nobre da capital amazonense -, dois na Zona Sul e outros dois na Zona Oeste.

30% dos 63 bairros de Manaus não tiveram mais do que um homicídio nos primeiros seis meses deste ano. A capital tem hoje, aproximadamente, 2 milhões de habitantes e fechou os primeiros seis meses de 2013 com 347 homicídios, o que representa uma taxa de 22 casos por 100 mil moradores. Os bairros que não registraram mortes foram: Adrianópolis, Chapada, Nossa Senhora das Graças e Parque 10 de Novembro (Centro-Sul), Crespo e Vila Buriti (Sul) e Glória e Vila da Prata (Oeste).

Os que registraram apenas um homicídio no período foram os bairros Nossa Senhora Aparecida, São Lázaro, Colônia Oliveira Machado, Presidente Vargas, Santa Luzia e São Francisco (Sul); São Jorge, Nova Esperança e Santo Antônio (Oeste); Distrito Industrial 2 (Leste) e São Geraldo (Centro-Sul).

O secretário de Segurança Pública, coronel Paulo Roberto Vital, disse que o resultado é importante para uma cidade com 2 milhões de habitantes e reflete bem a tendência de redução da criminalidade que o Estado do Amazonas vem experimentando nos últimos 12 meses.

“A partir da implantação do programa Ronda no Bairro, em 2012, a escalada de violência foi contida e passamos a reduzir os índices, mês após mês. Viemos periodicamente compartilhando esses resultados com o cidadão porque ele tem participação importante nesse enfrentamento aos criminosos”, afirmou.

O estudo da SSP-AM aponta, ainda, que é forte a concentração das ocorrências de homicídios na capital. De todo o Estado, Manaus fica com 90% dos registros, disse Vital. “Todos lembram que a criminalidade vinha em uma escalada desde 2008, alcançando em 2011 um índice insuportável. Depois que o governador Omar Aziz concluiu a implantação do Ronda no Bairro, esse crescimento foi estancado. Hoje já nem estamos mais comparando os atuais resultados com esse período negro até 2011, mas sim dentro dos próprios números positivos alcançados a partir de 2012”, afirmou.

Vital informou que a Secretaria lançou o Anuário Estatístico da Segurança Pública 2012 para fazer um estudo mais aprofundado das ocorrências criminais, e não apenas realizar uma divulgação de números.

“Não basta eu dizer para a sociedade que em um determinado período aconteceram tantos crimes. Precisamos saber o que está por trás dessas ocorrências, o que provoca essa situação e onde estão ocorrendo. Nossa meta é não ficar correndo atrás de bandido, mas prevenir que o crime ocorra. E isso estamos conseguindo”, completa o coronel.

Estatísticas

Nos primeiros seis meses deste ano, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) registrou 347 homicídios em Manaus, uma redução de 30% diante dos 491 casos de igual período de 2012. Outra marca histórica foi registrada em julho, quando a capital completou 12 meses seguidos de redução no número de homicídios: 417, contra 565 nos 12 meses anteriores, representando 148 vidas foram poupadas, conforme a avaliação do coronel Vital.

Anuário

O Anuário SSP é um estudo produzido por uma comissão do órgão com diagnóstico preciso da criminalidade no Amazonas. A edição de 2013 vai apresentar um levantamento das ocorrências incluindo os municípios da região metropolitana de Manaus.

O anuário faz uma análise de sete naturezas de infrações relacionadas a crimes contra a vida, contra o patrimônio e contra a dignidade sexual, que são homicídio, roubo seguido de morte (latrocínio), lesão corporal dolosa, violência doméstica, estupro, roubo e furto.

Também mostra a produtividade das polícias em naturezas de tráfico e porte de entorpecentes, armas de fogo apreendidas e localização de veículos roubados.


 *Com informações da assessoria de imprensa da SSP

Publicidade
Publicidade