Publicidade
Manaus
Manaus

Omar garante que união de políticos em torno da ZFM não tem ligação com eleições de 2014

Todos os atores políticos envolvidos diretamente na votação da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado têm essa mesma avaliação 13/05/2013 às 10:38
Show 1
Em seu gabinete, Eduardo Braga conversou bastante com Artur Neto. O governador Omar Aziz (centro) deixou claro o seu desconforto com o antigo aliado
antonio paulo ---

Quem assistiu ou viu as imagens de TV e fotografias na imprensa local dos maiores adversários políticos do Amazonas se unir, dialogar e até trocar beijos e abraços na mobilização em defesa da Zona Franca de Manaus (ZFM), especificamente na votação da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), do Senado, sobre os 12% do ICMS para o Amazonas, pode estar se perguntando: essa reunião é momentânea ou pode significar o retorno do grupo político que vem comandando o Estado há quase 30 anos?

A resposta quem dá é o próprio governador Omar Aziz, que voltou na semana passada a se sentar com o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) e conversar com o senador Alfredo Nascimento (PR-AM), ferrenhos adversários desde as eleições de 2010 para o Governo do Estado.

“Essa mobilização é necessária porque estamos buscando salvar o nosso filho, uma das nossas principais riquezas, a Zona Franca de Manaus. A união, absolutamente, não tem nada a ver com eleições, partidos ou alianças. Isso é um momento e não está condicionado a apoio de “a”, “b” ou qualquer discussão política. Pelo contrário, a relação de conversa que estamos tendo é no sentido de um ajudar o outro primeiramente na CAE, onde saímos vitoriosos. Agora, vem a segunda parte, no plenário”, declarou Omar Aziz.

Todos os atores políticos envolvidos diretamente têm essa mesma avaliação. Deputados federais, que fizeram parte da reunião no Senado, ouvidos por A CRÍTICA também analisam os fatos e fotos como um retrato do momento. “Já vi muitas fotografias nos jornais desse tipo. É uma situação importante as pessoas terem maturidade e humildade de colocar os interesses do Estado e do povo acima de qualquer questão pessoal e política, mas isso não reflete que todos estarão em volta da mesma mesa, da mesma aliança no ano que vem”, avalia o deputado Silas Câmara (PDS-AM), acrescentando que é cedo para fazer qualquer tipo de leitura política definitiva. “Lógico que não deixa de ser um elemento (a união momentânea) para ser analisado e avaliado mais lá para frente até se transformar em ação definitiva”, diz deputado do PSD.

Para o deputado Luiz Fernando (PSD-AM), o cumprimento e o beijo trocado entre a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e o prefeito de Manaus Artur Virgílio Neto – adversários na eleição municipal de 2012 – depois da votação na CAE, foi emblemático. Ele classificou com madura a postura dos políticos em torno da ZFM. “Qualquer rusga, prurido ou raiva foi trocado por algo maior”, declarou. Ele citou o reencontro de Omar, Alfredo, Braga, Artur e Vanessa.  No entanto, Luiz Fernando também corrobora a tese de que essa união não resvala para as eleições de 2014.

Publicidade
Publicidade