Terça-feira, 12 de Novembro de 2019
‘Escapuliu’

Onça foge após participar da passagem da Tocha Olímpica pelo Cigs, em Manaus

O animal escapou e partiu para cima de um militar no momento em que era colocado de volta na jaula. Para ser resgatada, a onça teve que se alvejada com um tranquilizante



show_onca-juma-que-foi-morta-apos-participar-do-revezamento-da-tocha-1466520667415_v2_900x506.jpg Os condutores da Tocha “interagiram” e tiraram fotos com o animal (Foto: Ivo Lima/ME)
20/06/2016 às 11:48

A onça que “interagiu” e participou da passagem da Tocha Olímpica pelo Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs), na manhã desta segunda-feira (20), em Manaus, fugiu no momento em que era colocada de volta na jaula. Depois, o animal foi resgatado.

A informação foi confirmada pelo coronel Evelyn, chefe da 5ª seção de Comunicação do Comando Militar da Amazônia (CMA), do Exército Brasileiro. “Ela fugiu de fato. Ela fazia parte da apresentação (da Tocha Olímpica), mas escapou muito depois (da passagem) da Tocha. Mas ela já foi encontrada”, disse.



De acordo com o coronel Evelyn, o evento de revezamento dentro do Cigs aconteceu normalmente, sem alterações. Os condutores da Tocha “interagiram” com o animal, passaram pelo zoológico do Cigs, seguiram para uma área de selva e acompanharam simulações de sobrevivência.

Depois, quando seria levada para a jaula, a onça escapou e teve que ser alvejada com um tranquilizador. “Após o evento, no momento em que a onça foi guardada, ela escapuliu da sua segurança. Teve que tomar um tranquilizante. Ela partiu pra cima de um dos militares e teve que ser alvejada com tranquilizante”, disse o coronel Evelyn.

O Comando Militar da Amazônia (CMA) informou que enviará um comunicado à imprensa para explicar detalhes do ocorrido.

Tocha Olímpica

A Tocha Olímpica vem fazendo passagem por Manaus desde ontem, domingo (19), quando percorreu 39 quilômetros de trajeto pela cidade, passando por ruas e avenidas principais e também pontos turísticos como a Ponta Negra e o Teatro Amazonas.

Hoje, o revezamento deve passar ainda pelo Tropical Hotel, por uma comunidade indígena em Iranduba, na Praia do Tupé onde será recebida por índios Dessana, por uma comunidade ribeirinha e no Encontro das Águas. De lá, parte para Presidente Figueiredo, onde vai à Cachoeira de Iracema e o Parque do Urubuí. Depois, segue para o Acre.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.