Domingo, 25 de Outubro de 2020
HOMENAGEM

ONG japonesa vai plantar em Manaus uma árvore para cada morte por covid

Costume milenar em muitas culturas, o ato de cultivar plantas como forma de homenagear entes queridos levou o Instituto Soka Amazônia a lançar o projeto ‘Memorial da Vida’, na capital amazonense



zCID0122001_p01_E0D2EED4-A9BB-4B6B-8AAB-9C8B20489D08.jpg Espécies amazônicas serão plantadas em diversas partes da capital. Foto: Divulgação/I.Soka
22/09/2020 às 08:47

Plantar uma árvore em memória aos entes queridos é costume milenar em muitas culturas. E ontem, no Dia da Árvore, foram plantadas as primeiras 15 das milhares de árvores que serão cultivadas em Manaus em homenagem às vítimas da Covid-19 no Brasil. A ação, que aconteceu no Clube do Trabalhadores do Sesi, na Zona Leste, faz parte do projeto Memorial da Vida, idealizado pelo Instituto Soka Amazônia “para deixar eternizada a lembrança da perda das muitas e muitas vidas ceifadas pela pandemia”.

Apesar de uma breve chuva, o tempo ajudou e as árvores foram plantadas em clima solene representantes de diferentes órgãos privados e públicos e por representantes de indústrias parceiras do Instituto Soka, braço regional da Soka Gakkai Internacional (SGI). Dentre as espécies amazônicas que foram plantadas no local estavam cedro, jacarandá, peroba, mari mari rosa, ipê amarelo. Algumas delas encontram-se na lista das ameaçadas de extinção.



O evento foi aberto pelo engenheiro ambiental Jean Dinelly Leão, gestor ambiental do Instituto Soka. “Soma-se à homenagem às vítimas do Covid 19, a necessidade de arborizar cada vez mais a nossa cidade de Manaus”, lembrou Jean, ao agradecer a presença de todos e dar por iniciado o projeto oficialmente.


Ontem, no Dia da Árvore, as primeiras 15 foram plantadas, na Zona Leste. Foto: Divulgação/I.Soka

O vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Cláudio Barrella, mostrou-se feliz por ser a Casa do Trabalhador, no clube do Sesi, o local para a cerimônia do projeto e lembrou um fato ocorrido há 30 anos que tornou realidade esse momento. “Foi há 30 anos que a visão do dr. Ikeda (Daisaku, membro da SGI) levou-o a adquirir aquele excelente pedaço de terra aqui em Manaus, que se transformou no Instituto Soka Amazônia”, lembrou. Ele ressaltou importância das árvores, de sua contribuição em muitos aspectos para a qualidade de vida de todo o país. “Deveríamos, cada um, ao levantar da cama, agradecer: obrigado, árvores!”, disse.

O cônsul geral adjunto do Japão em Manaus, Takahiro Iwato, representou o governo japonês no evento, quando foi assinada a Carta da Terra entre o representante da Fieam e o diretor-presidente do Instituto Soka Amazônia, Edson Akira Sato. A SGI é parceira da Carta da Terra Internacional desde a sua criação e vem desenvolvendo diversos projetos em conjunto como as exposições documentárias “Sementes da Vida” e “Sementes da Esperança”, ambas foram exibidas diversas vezes por todo o Brasil e o mundo.

O boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) contabiliza até ontem um total de 3.964 óbitos por Covid-19 no Estado. Em todo o Brasil, são 137.272 mortes pela doença, segundo o Ministério da Saúde.

Impacto devastador nos mais pobres

A pandemia de Covid-19 tem um impacto econômico “devastador” nas populações mais vulneráveis do mundo, que foram obrigadas a fugir ou que vivem em zonas de conflito, provocando fome ou falta de escolaridade, afirma um relatório publicado pela ONG Conselho Norueguês para Refugiados (NRC). As informações são da AFP.

No estudo “Espiral descendente”, realizado em 14 países (Mali, Afeganistão, Venezuela e Colômbia, entre outros), o NRC indica que quase 75% das 1.400 pessoas entrevistadas apontam uma degradação expressiva de sua situação devido à crise de saúde.

De acordo com o relatório, 77% das pessoas entrevistadas perderam o emprego ou tiveram o salário reduzido desde março, 70% tiveram que diminuir o número de refeições em casa e 73% afirmam estar menos preparadas para levar os filhos à escola devido aos problemas financeiros.

FVS aponta redução em internações

Em balanço apresentado em audiência pública virtual da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), nesta segunda-feira, a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) aponta que na semana epidemiológica 38 (de 13 a 19 de setembro) houve redução de 29,4% de internações por Covid-19 no Amazonas.

O estudo também apontou, no mesmo período, redução de 63,1% no interior do Estado e de 1,3% em Manaus.

De acordo com os dados, apresentados pela diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, os óbitos tendo o novo coronavírus como causa confirmada registraram estabilidade, com variação de 7,5% no Amazonas, na semana epidemiológica 38 (de 13 a 19 de setembro). Em Manaus a variação foi de -8%, enquanto no interior foi registrada variação de 33,3% (de 15 óbitos na semana 37 para 20 óbitos na semana 38).

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.