Publicidade
Manaus
MAIS AMEAÇAS

Ônibus voltam a circular, mas sindicato dos rodoviários ameaça nova paralisação

A greve durou quase seis horas e 300 mil passageiros de todas as zonas da cidade foram prejudicados. De acordo com o sindicato, a categoria deve realizar a partir desta quarta-feira (22) mais paralisações 21/02/2017 às 10:05 - Atualizado em 21/02/2017 às 11:58
Show circular
Foto: Winnetou Almeida
Amanda Guimarães e Isabelle Valois Manaus (AM)

Após quase seis horas de paralisação, trabalhadores do transporte público de Manaus retomaram as atividades por volta das 10h desta terça-feira (21). Segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira, a greve foi realizada em resposta a falta de pagamento salarial do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram). 300 mil passageiros de todas as zonas da cidade foram prejudicados.

Segundo Givancir, a greve é um meio para mostrar aos empresários que toda vez que o pagamento atrasar os trabalhadores irão responder. Ele também destacou que a categoria deve realizar a partir desta quarta-feira (22) mais paralisações. Uma delas seria realizada na próxima sexta-feira (24), com a paralisação de 70% da frota, em resposta a falta de acordos com o Sinetram sobre o pagamento do dissídio coletivo.

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) informou que o adiantamento salarial dos trabalhadores estava previsto para hoje, mas por conta da paralisação as empresas ficaram sem receita. Segundo o órgão, a previsão é que nos próximos dias eles recebam os valores.

 A reportagem também questionou o Sinetram sobre a questão do dissídio coletivo, mas até a publicação desta matéria os questionamentos não foram respondidos.

Audiência

A assessoria de comunicação do Tribunal Regional do Trabalho 11ª Região informou que será realizada uma audiência na próxima quinta-feira (23) para tratar sobre a questão do dissídio da greve que foi realizada no dia 17 de janeiro, com representantes do Sindicato dos Rodoviários e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

Publicidade
Publicidade