Publicidade
Manaus
Manaus

Operação da PF prende policiais militares envolvidos em chacina em fim de semana de julho

A operação comandada pela PF e MPE já prendeu 13 policiais militares que estariam envolvidos em mais de metade das mortes registradas durante a maior chacina dos últimos tempos, ocorrida no mês de julho deste ano e que ficou conhecida como 'Final de Semana Sangrento' 27/11/2015 às 10:53
Show 1
Operação Alcatéia, deflagrada nesta sexta-feira, 'caça' policiais militares corruptos e homicidas
Joana queiroz Manaus (AM)

Uma força-tarefa formada pelas policias federal, civil e militar, além de agentes do Ministério Publico Estadual (MPE-AM) deflagrou na manhã desta sexta-feira (27)a operação Alcatéia, para dar comprimento a 15 mandados de prisões preventivas contra PMs suspeitos de integrarem um grupo de extermínio.

A operação já prendeu 13 policiais militares que estariam envolvidos na maior chacina dos últimos tempos, ocorrida no mês de julho deste ano, que ficou conhecida como “Final de Semana Sangrento” e que resultou em pelo menos 34 vítimas fatais.

De acordo com informações preliminares, das 34 mortes naquele evento, pelo menos 18 foram cometidas por policiais. Os presos estão sendo encaminhados para a Superintendência da PF, localizada no bairro Dom Pedro, na Zona Oeste de Manaus. 

No conjunto dos Nobres, no bairro Santa Etelvina, na Zona Norte da capital, a casa de um policial militar suspeito foi revistada durante a operação (foto abaixo). Do local, a PF levou uma motocicleta preta, supostamente utilizada para cometer crimes sob a alcunha de "Motoqueiro Fantasma" (termo usado por policiais que indica que haverá retaliações contra o crime), e quatro armas, entre pistolas e revólver. 


Ao todo, 13 armas de fogo foram apreendidas, sendo cinco PT.40, duas 380, cinco 38 e uma escopeta calibre 12, além de uma pistola de choque não letal. Além da motocicleta, outros cinco veículos também foram confiscados, e cerca de 1 quilo de droga foi encontrado com os suspeitos.

Todos os PMs detidos serão encaminhados ainda pela manhã dexta sexta-feira para o Batalhão de Guarda, no bairro Monte das Oliveiras.

A ação conta com a participação de 130 policiais, sendo 24 da Força Especial de Resgate e Assalto (FERA), 17 oficiais da PM-AM e 21 policiais federais.

As investigações estão sendo conduzidas em força-tarefa instituída pela Secretaria de segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), sob supervisão da Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança Pública, e com cooperação da PF e MPE.

O presidente da Associação dos Policiais Militares do Amazonas (Apeam), Gerson Feitosa, disse que colocou dez advogados para trabalhar na defesa dos associados e que os mesmos já estão trabalhando na formulação da defesa deles. Segundo ele, ainda hoje a associação vai entrar com pedido de relaxamento da prisão temporária. 

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Amazonas também manifestou apoio aos PMs detidos, e se comprometeu em fornecer a ajuda de mais três advogados para ajudar na defesa dos policiais.

Final de Semana Sangrento

Os trabalhos tiveram início logo após a série de homicídios ocorrida no período de 17 a 19 de julho de 2015, ocasião em que 34 pessoas foram mortas em Manaus. Muitas destas mortes eram suspeitas de terem sido praticadas em atividades típicas de extermínio.

Publicidade
Publicidade