Terça-feira, 31 de Março de 2020
De Recreio e Turismo

‘Travessia Segura III’ inicia fiscalização em barcos e orienta passageiros

A ação tem por objetivo verificar o cumprimento de obrigatoriedades como uso e conservação de coletes salva-vidas, boias salva-vidas, o respeito ao limite de lotação máxima, dentre outras medidas para fortalecer a segurança da navegação



b_gjfhgk_0BBFBD39-DBBD-4C7D-9FBD-A493C8259438.JPG Foto: Marcely Gomes
16/01/2020 às 07:19

Dezenas de embarcações, principalmente, as de recreio e as de turismo náutico serão fiscalizadas, até o dia 31 de janeiro, pela equipe de inspeção do Comando do 9º Distrito Naval (Com9ºDN) por meio da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC) como parte da operação “Travessia Segura III”, realizada em vários terminais portuários de Manaus.

A ação, que iniciou na quarta-feira (15), tem por objetivo verificar o cumprimento de obrigatoriedades como uso e conservação de coletes salva-vidas, boias salva-vidas, o respeito ao limite de lotação máxima, dentre outras medidas para fortalecer a segurança da navegação. 



“Além de intensificar a fiscalização de embarcações que fazem o transporte de passageiro, nós trabalhamos, justamente, a questão da conscientização, ou seja, a comunicação dos inspetores navais com relação a itens de segurança”, explicou o encarregado da inspeção naval da Capitania dos Portos, primeiro-tenente Felipe Queiroz. 

Áreas como o Porto da Ceasa, localizado no bairro Mauazinho, Zona Sul da capital, e o Porto da Manaus Moderna, no Centro, serão alguns dos pontos intensificados pelos oficiais da Marinha do Brasil. Conforme o primeiro-tenente Queiroz, caso seja identificado alguma irregularidade, as observações serão repassadas ao proprietário da embarcação que poderá ter seu barco apreendido. 

“Primeiro, mostramos ao comandante da embarcação o que está errado e o que está preconizado na norma de navegação. Nós notificamos o proprietário para que ele compareça a Capitania dos Portos e apresente uma defesa prévia. É importante considerar que existem algumas infrações que colocam diretamente a vida da pessoa em risco, e para essas infrações, nós apreendemos a embarcação para o bem da navegação e salva guarda da vida humana”, esclareceu. 

Ele destacou ainda que qualquer atualização ou ajustes feitos pelos proprietários precisam passar pela avaliação da inspeção naval. “A gente observa que os proprietários de embarcação atualizam as condições de embarcação e não levam isso - a atualização do título de inscrição da embarcação - à Capitania dos Portos. Hoje (ontem), por exemplo, encontramos várias dessas situações”, ressaltou ainda.

A segurança do tráfego aquaviário em águas brasileiras está disposta na Lei Nº 9.537, de 11 de dezembro de 1997. Já o conteúdo da Norma da Autoridade Marítima (NORMAM) 03, da Diretoria de Portos e Costas (DPC), que estabelece os requisitos mínimos de segurança para as embarcações, podem ser visualizadas através do site.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.