Publicidade
Manaus
Manaus

Operador é morto após decreto de preso na Unidade Prisional do Puraquequara

O traficante conhecido como “Calanguinho”, que estaria preso na UPP, teria ordenado a morte dele e da vítima, após um dos comparsas ter sido alvejado por um tiro no último sábado (16) 21/11/2013 às 13:30
Show 1
O Instituto Médico Legal (IML) fez a remoção do corpo e parentes da vítima temem represálias
Bruna Souza Manaus, AM

O operador de máquinas Jucicley Nunes de Paula, de 18 anos, foi executado com dois tiros na cabeça na manhã desta quinta-feira (21), enquanto atravessa uma ponte de madeira no igarapé Água Fria, localizado no bairro Colônia Antônio Aleixo, na Zona Leste de Manaus. De acordo com o irmão da vítima, que preferiu não de identificar, a ordem para a morte veio de dentro da Unidade Prisional do Puraquequara (UPP).

Segundo testemunhas, Jucicley costumava sair para o trabalho todos os dias às 6h, juntamente com a mãe. Nesta manhã, o mesmo saiu sozinho e foi alvejado pelos tiros. Ninguém quis informar quem atirou contra o operador de máquinas e a lei do silêncio predominou.

Apenas o irmão de Jucicley disse que o traficante conhecido como “Calanguinho”, que estaria preso na UPP, teria ordenado a morte dele e da vítima, após um dos comparsas ter sido alvejado por um tiro no último sábado (16). “Os traficantes pensaram que eu e o meu irmão tínhamos mandado atirar no rapaz e o Calanguinho, assim que soube, ordenou a nossa execução. Infelizmente acertaram meu irmão”, disse.

Os policiais da 28ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foram acionados e fizeram o isolamento da área. O Instituto Médico Legal (IML) fez a remoção do corpo e parentes da vítima temem represálias. A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) vai investigar o caso.

*Com informações do repórter Antônio Barros Jr. do Manaus Hoje

Publicidade
Publicidade