Publicidade
Manaus
MOBILIZAÇÃO

Operadores do transporte executivo protestam na CMM contra aumento da tarifa

Cooperativas reclamam da alteração de artigo com justificativa que a mudança torna "inviável" a continuidade do sistema 03/12/2018 às 14:36
Show revogacao 15802304 2061 44c8 a479 50d3a5d20da2
Foto: Márcio Silva
Larissa Cavalcante Manaus (AM)

Mais de 50 trabalhadores do transporte executivo protestaram contra o aumento da tarifa na entrada da Câmara Municipal de Manaus (CMM) na manhã desta segunda-feira (3). As cooperativas reclamam da alteração no artigo 18 do Decreto nº 2.639 com a justificativa de que a mudança torna inviável a continuidade do sistema modal.

“Somos contra o aumento da tarifa do transporte executivo porque não vamos ter uma demanda satisfatória para sustentar o sistema, ficando inviável. O aumento não foi discutido com a categoria. Sabemos que é da competência exclusiva do prefeito, mas gostaríamos de ter sido consultados até porque os operadores dos sistema somos nós e sabemos do custo operacional”, afirmou a diretora da Federação das Cooperativas de Transporte do Amazonas (Fecootram), Walderizia Melo.

O modal executivo é operadora por 18 cooperativas com o efetivo de 253 micro-ônibus com cerca de 40.480 usuários por dia. De acordo com a diretora da Fecootram, em dias de pagamentos e datas festivas o modal apresenta aumenta de 10 a 12% do fluxo de passageiros, e consequente, faturamento.

A categoria contesta a mudança, regulamentada pelo decreto 4.005, de 7 de março de 2018, que estabelece no dia artigo 18, inciso 1º, que tarifa do transporte executivo deve ser no mínimo 50% superior à praticada pelo sistema convencional de transporte público coletivo de passageiros. “Calculando a tarifa que hoje é R$4,20 pode fica em torno de R$5,70”, disse Melo.

A categoria teve ciência do aumento da tarifa em uma audiência de celebração de contrato com a Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), na última semana, anunciou que a pasta irá cumprir o decreto. “Não nos foi dado tempo para nos preparar para mudança. Não tivemos acesso nem a minuta do contrato mesmo sendo pedido em audiência na quarta-feira passada e até agora não foi concedido”, protestou a diretora.

Bilhetagem eletrônica

O operador do transporte, Riomar Albuquerque, defende o aumento proporcional da tarifa e a inclusão do Cartão Passa Fácil como forma de pagamento nos micro-ônibus. O cartão é utilizado no sistema convencional de transporte coletivo e no alternativo.

“Se aumentasse a tarifa proporcional ao transporte convencional e colocassem a bilhetagem eletrônica com o Passa Fácil ficava a concorrência leal. Sabemos que não pode ficar o mesmo valor da passagem porque é um transporte diferenciado. Nós reivindicamos a bilhetagem para todos os passageiros e proporciona garantia para o sistema”, avalia.

Reunião

Segundo Melo, os operadores retornam à CMM nesta terça-feira para protestar e reunir-se com o presidente da Casa Legislativa, Wilker Barreto (PHS), para levar os anseios da categoria.

Publicidade
Publicidade