Sábado, 17 de Agosto de 2019
NOVO SALVE

Ordem da facção criminosa Comando Vermelho é 'vermelhar' ruas de Manaus

Seja com as cores da facção em marcações a tinta nos muros ou com sangue inimigo, grupo criminoso lançou guerra pelo controle do narcotráfico contra a FDN



CV_87D43CF6-10BE-43B0-A857-C1250B91FD00.JPG Foto: Sandro Pereira
18/07/2019 às 07:11

O que em Manaus seria uma disputa de traficantes por território virou uma verdadeira guerra entre facções criminosas que tentam ter o domínio do tráfico na cidade. Só entre a última sexta-feira e o início desta semana, oito pessoas ligadas ao crime foram executadas, outras ficaram feridas por criminosos organizados em grupos os chamados “bondes”, fortemente armados.

De acordo com fontes policiais, a guerra por território acontece entre integrantes da facção criminosa Família do Norte (FDN), que por alguns anos deteve o controle do tráfico no Estado, principalmente dentro dos presídios, contra a facção Comando Vermelho (CV) que, de acordo com os órgãos de inteligência, vem crescendo no Amazonas e quer tomar conta da capital.

Ocimar Prado Júnior, o “Coquinho”, dissidente da FDN, é quem comanda hoje o CV no Estado e, de acordo com informações que circulam dentro dos presídios, deu a ordem para “vermelhar” Manaus, seja com as cores da facção (marcações a tinta nos muros) ou com sangue inimigo. O recado já foi transmitido aos seus comandados fora dos presídios em um “salve” (mensagem por WhatsApp) no início desta semana.   

Controle de áreas

Algumas áreas da cidade já estão sob o domínio do CV, de acordo com informações policiais, e, para mantê-las, o método é o derramamento de sangue.

Criminosos da facção rival reagem invadindo as áreas comandadas pelo CV e tentam tomar de volta, matando os concorrentes. Na quinta-feira da semana passada, por exemplo, três pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas após intensa troca de tiros entre integrantes das duas facções.

Os becos São Francisco e Do Areal, na comunidade Parque Mauá, bairro Mauazinho, na Zona Leste da cidade, viraram praça de guerra entre criminosos, deixando a população aterrorizada. No dia seguinte, muitos comércios do bairro fecharam as portas. 

Durante o tiroteio, Erik Rabelo Fróis, 22, Vitor Moreira dos Anjos, 18, e Pablo Ferreira dos Santos, 25, foram mortos. Quatro ficaram feridos, foram socorridos e levados para o hospital. De acordo com policiais, um bonde da FDN invadiu o local, que está sob o comando da CV.

Além das mortes do Mauazinho, na quinta-feira, Whenyne Oliveira dos Santos, integrante do CV, foi assassinado por volta das 17h, na rua Carpinteiro Peres, bairro de Petrópolis. Thiago Carlos Prata de Oliveira, também do CV, foi assassinado, na sexta-feira, na rua Dona Mimi, no Morro da Liberdade, Zona Sul. No sábado, Anderson Cordeiro Santarém, o “Pretinho”, do CV, foi morto, na rua Paranavaí, no Complexo do 40, bairro Raiz, na Zona Sul.

No sábado, criminosos do CV assassinaram Adenilton da Silva Souza, no bairro do Crespo, na Zona Sul, e Geovane Ferreira Peres foi assassinado na rua Santa Etelvina, Zona Norte.  Este, de acordo, com investigações da polícia, não tinha nenhum envolvimento com o crime, era trabalhador, mas foi confundido.

Sistema de Segurança já prendeu 12

Procurado, o secretário estadual de Segurança Pública (SSP-AM), Louismar Bonates, disse que os órgãos do sistema estão dando uma resposta à sociedade e já conseguiram prender 12 criminosos, assim como apreenderam armas que estavam sendo usadas para matar.

Ontem (17), por exemplo, foram apresentados quatro criminosos que integram um “bonde” que estava pronto para atacar o bairro Morro da Liberdade. Quatro armas foram apreendidas com eles por policiais da Força Tática.

“Nós estamos nos organizando, fazendo abordagens e operações e não vamos aceitar de forma passiva que esses ataques continuem acontecendo”, disse o delegado George Gomes, diretor do Departamento de Polícia Metropolitana da PC (DPM). De acordo com ele, as prisões que estão acontecendo são uma resposta para que a sociedade mantenha a tranquilidade.

Estratégia de combate

Desde segunda-feira, os órgãos de segurança vêm se reunindo, de acordo com George Gomes, para traçar estratégias de combate às ações criminosas de facções que querem dominar o crime na cidade. “Mas os órgãos de segurança, não vão permitir isso”, disse o diretor do DPM.

Receba Novidades

* campo obrigatório
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.