Publicidade
Manaus
Manaus

Órgãos públicos buscam diminuir os problemas de trânsito na Torquato Tapajós, em Manaus

Manaustrans e Detran-AM analisam soluções para tentar minimizar os congestionamentos e reduzir o índice de acidentes na avenida, considerada uma das mais perigosas em Manaus 16/09/2014 às 09:02
Show 1
Os estudos pretendem minimizar o problema de congestionamentos na via
rosiene carvalho ---

Começou na sexta-feira e deve ser concluída em duas semanas a análise que o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) está fazendo numa das mais perigosas avenidas de Manaus: a Torquato Tapajós.

Líder de registros de acidente e de reclamações de tráfego lento, ao lado da avenida Autaz Mirim, na Zona Leste, a Torquato Tapajós deve passar por algumas alterações no tráfego após a conclusão do estudo, segundo informou o diretor-presidente do Manaustrans, Paulo Henrique Martins.

O diretor-presidente do Manaustrans informou que será feita uma análise sobre o tráfego e a geometria na avenida durante as duas semanas em que técnicos do órgão estarão analisando o comportamento do trânsito no trecho que compreende o recém-inaugurado Viaduto 28 de Março e a barreira da Polícia Militar, que dá acesso à BR-174 e AM-010. A intenção, ao analisar o tráfego, é verificar os principais pontos e horário de engarrafamento.

“Outra análise é da geometria. Por exemplo, ali próximo ao Novo Israel há pontos de ônibus que causam estreitamento da via por estarem próximos à faixa de pedestres. Vamos esperar a conclusão dessa análise para tomar medidas de imediato a médio e a longo prazo para melhorar o trânsito e a segurança na Torquato Tapajós”, declarou Paulo Henrique Martins.

Martins afirmou que o trecho foi escolhido para análise porque, após a inauguração do Complexo Viário 28 de Março, que dá acesso da Torquato ao aeroporto e eliminou um semáforo no local, aumentaram as reclamações de lentidão no local. Mesmo com o complexo viário construído pela Prefeitura de Manaus, o trânsito continuou lento na avenida. “As pessoas aumentaram as reclamações de um problema que já existia”, declarou Paulo Martins

Paulo Henrique Martins afirmou que, por ser a Torquato Tapajós uma das vias de maior registro de acidentes envolvendo pedestres, há possibilidade de construção de passarelas ao longo da via. “Mais de uma, até porque não se pode construir passarelas muito distantes uma da outra porque obviamente o pedestre não vai querer usar. É preciso que tenham certa proximidade”, declarou.

Fluxo é de mais de 10 mil por dia

O Departamento Estadual de Trânsito no Amazonas (Detran-AM), em estudo sobre a Torquato Tapajós, finalizado há poucos dias, concluiu que mais de 10 mil veículos passam pela avenida nos horários de maior intensidade de fluxo.

Entre as 7h e 9h da manhã, são quase 4 mil veículos que trafegam pela Torquato Tapajós. E, entre às 16h30 e 18h, são quase 5.500. Nesses dois períodos do dia, o trânsito fica mais intenso e lento.

O diretor-presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza, informou ainda que a Torquato Tapajós e a Autaz Mirim, na Zona Leste, são as avenidas onde há maior registro de acidentes de trânsito. “Verificamos que os acidentes que ocorrem na Torquato Tapajós são provocados por excesso de velocidade e consumo de álcool. O limite de velocidade na Torquato Tapajós é de 60 quilômetros por hora e ninguém respeita”, declarou Leonel Feitoza.

Publicidade
Publicidade