Publicidade
Manaus
Manaus

Orla de Manaus abriga criadouros do mosquito aedes aegypti

Lixo jogado em locais inadequados, mato e embarcações abandonadas formam o cenário ideal para a formação de criadouros e a proliferação do mosquito transmissor da dengue, chicungunya e o zika vírus 16/02/2016 às 09:24
Show 1
Balsas que estão abandonadas são potenciais focos do mosquito
marcela morais ---

Focos do mosquito aedes aegypti foram encontrados na orla de Manaus. No porto da Ceasa, localizado na Zona Leste, os criadouros do mosquito estão entre o lixo acumulado e que podem armazenar água parada. Outro problema são as balsas antigas paradas no porto do São Raimundo, localizado na Zona Oeste, onde foram encontrados vários pneus velhos tanto nas balsas quanto espalhados pelo chão e estão acumulando água.

Na beira do rio, no porto da Ceasa, muito lixo doméstico pode ser encontrado no local. Entre garrafas, copos descartáveis, a maioria desses materiais acumula água e assim garantem a proliferação do mosquito.

Conforme informações do marítimo Carlos Coelho, que trabalha há vinte anos no porto da Ceasa, o lixo acumulado provém de visitantes do porto e principalmente dos usuários que atravessam o rio vindo interior.

“Muitas pessoas trazem lixo e jogam aqui na beira, os cachorros rasgam os sacos e tudo fica espalhado. Além disso, há muito tempo a equipe de limpeza não passa para fazer a retirada desse lixo acumulado e também para roçar o mato”, contou.

No porto do São Raimundo as balsas que estão paradas também se tornaram locais ideais para o mosquito. Muitos pneus velhos, tanto nas balsas quanto pelo chão estão espalhados por todo o lugar, acumulam água, criando o cenário perfeito para a multiplicação do aedes aegypti, o transmissor da dengue, chicungunya e o zika vírus. De acordo com Fernando Barroso, responsável pela administração do Estaleiro no Porto São Raimundo, a retirada do lixo é feita diariamente. “Com toda essa mobilização nacional de combate ao mosquito, nós ficamos mais atentos em relação aos cuidados aqui no porto”, garantiu.

Barroso afirma que uma equipe de 40 funcionários está realizando uma grande mobilização no local para fazer a limpeza nas balsas. “Como o rio enche e seca todos os anos, nós procuramos sempre fazer a manutenção no local. Todos esses pneus serão recolhidos e vamos eliminar todos os possíveis criadouros do mosquito, vamos nos empenhar nisso”, finalizou.

A assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informou, por meio de nota, que a prioridade da secretaria é fiscalizar os domicílios, porém os portos citados na matéria estão na programação de visitas. Informou ainda que a Semsa irá divulgar quando a programação estiver concluída.

Mobilização agitou o sábado

Em Manaus, o dia de Mobilização “Zika Zero”, no sábado 13, resultou em 82.611 imóveis em 43 bairros da cidade vistoriados pelas equipes formadas por profissionais de saúde do município e Estado, Forças Armadas e voluntários, superando em mais de 10 mil o número de visitas.

Mais de 72 mil criadouros do aedes foram identificados e eliminados

A megaoperação envolvendo Prefeitura de Manaus, Governo do Amazonas e Forças Armadas continuará nas ruas da capital até quinta-feira, conscientizando a população para impedir a reprodução do mosquito aedes aegypti. O sucesso da mobilização do último sábado permitiu a identificação e eliminação de 72,4 mil criadouros.

“Os imóveis fechados ou abandonados foram 26% do total que visitamos no último sábado e vamos nos concentrar nesta parcela do problema, chamando para a responsabilidade os proprietários”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto

Susam apresenta balanço da mobilização indicando a inspeção de quase 140 mil imóveis em todo o Amazonas

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) divulgou, ontem, um balanço parcial das ações realizadas em todo o Estado, como parte do Dia Nacional de Mobilização para o Combate ao Aedes aegypti.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, os números contabilizados até o momento pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), demonstram a inspeção de 139 mil domicílios, sendo 82.611 imóveis somente em Manaus. Nos 23 municípios do interior foram mais de 56 mil domicílios.

Participaram da ação 19.857 profissionais da saúde, 7.207 militares das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica), 39 bombeiros e equipes voluntárias.

O secretário Pedro Elias destacou o empenho das secretarias municipais de Saúde de todo o Estado, para a realização das ações do Dia de Mobilização. Ele também agradeceu a receptividade da população, que tem papel fundamental no trabalho de prevenção.

Publicidade
Publicidade