Publicidade
Manaus
Manaus

Outubro Rosa alerta amazonenses sobre os principais tipos de câncer entre as mulheres

A abertura do Outubro Rosa no Amazonas acontece no Centro de Convenções Vasco Vasques, na próxima quarta-feira (1º), às 17h30 29/09/2014 às 20:11
Show 1
Cor rosa foi escolhida como símbolo da luta contra o câncer de mama ao redor do mundo
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Os cânceres de colo uterino e mama são os dois mais incidentes entre as mulheres amazonenses e deverão contabilizar, juntos, este ano, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 1.020 casos no Estado, 49,8% do total previsto para o sexo feminino.

Para chamar a atenção sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce dessas duas neoplasias malignas, as Organizações não Governamentais de apoio à causa câncer (ONGs), com o participação da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), promoverão, na próxima quarta-feira (1º), às 17h30, a abertura do Outubro Rosa no Amazonas.

O evento acontece no Centro de Convenções Vasco Vasques, na avenida Dom Pedro, bairro de mesmo nome, Zona Centro-Oeste de Manaus. A expectativa é que, pelo menos, duas mil pessoas compareçam ao local, que terá como uma das principais atrações, a iluminação da Arena da Amazônia com a cor rosa e apresentação do grupo musical Estrelas do Amazonas, composto por cantores regionais.

De acordo com o diretor-presidente da FCecon, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), pneumologista Edson de Oliveira Andrade, a ideia é que as mulheres sejam alertadas sobre a necessidade da realização dos exames preventivos, que devem ser feitos de forma regular, a exemplo da mamografia e do Papanicolau.

O primeiro pode apontar a existência de tumores ainda na fase inicial na mama, aumentando as chances de sucesso no tratamento. Já o preventivo (Papanicolau), pode evitar em 100% o aparecimento do câncer de colo uterino, o mais incidente entre a população feminina no Amazonas”, explica. Ele também destaca que a visita periódica ao ginecologista e ao mastologista, profissionais especializados na saúde da mulher, são de extrema importância.

Segundo a enfermeira Marília Muniz, presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer, uma das ONGs à frente da organização do evento, participam diretamente da atividade a Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc) e o Centro de Integração Amigas da Mama (Ciam), representante no Amazonas da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama), ONG que coordena o movimento a nível nacional.

De acordo com ela, várias instituições públicas e privadas já confirmaram participação com iluminação e decoração na cor rosa na capital, a exemplo da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Lacc, FCecon, Eucatur, Teatro Amazonas, Praça da Polícia, Museu Tiradentes, Largo de São Sebastião, Palácio Rio Negro, Ponte do Rio Negro e Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam). Outras organizações públicas e privadas deverão aderir nos próximos dias à campanha.

O Grupo de Apoio às Mulheres Mastectomizadas da Amazônia (Gamma), o Grupo de Apoio à Criança com Câncer (Gacc), Lar das Marias e Lar do José, todas entidades sem fins lucrativos, também apoiam o movimento.

O Outubro Rosa, este ano, terá uma série de atividades, desenvolvidas ao longo do mês de outubro, pela equipe do Departamento de Prevenção e Controle do Câncer (Dpcc-FCecon) - como palestras e eventos educativos, com distribuição de material impresso apontando os principais fatores de risco da doença, como o tabagismo, sedentarismo, alimentação rica em gorduras e processados, alcoolismo, entre outros – e por outras instituições, que estão finalizando seus cronogramas.

As atividades também se estendem para outros municípios amazonenses. Até agora, pelo menos seis deles já confirmaram participação. São eles: Borba, Japurá, Manacapuru, Nhamundá, Rio Preto da Eva e São Gabriel da Cachoeira. A expectativa é que, até o final deste mês, os demais confirmem programação, fortalecendo a campanha no Amazonas.

O Outubro Rosa foi criado em 1990, em Nova York, mas ganhou visibilidade em 1997, nas cidades de Yuba e Lodi, na Califórnia (EUA). O movimento se caracteriza por colorir de rosa ambientes de acesso público, no intuito de chamar a atenção para a alta ocorrência do câncer de mama, o mais incidente no mundo. No Brasil, ele acontece simultaneamente, em várias cidades brasileiras durante todo o mês de outubro. No Amazonas, o câncer de colo uterino também virou tema da campanha, considerando que é o tipo de câncer de maior incidência entre as mulheres.

Pele não melanoma

A estimativa do Inca, órgão vinculado ao Ministério da Saúde, aponta, separadamente, os casos de pele não melanoma, que deverá ter confirmados, este ano, no Estado, 970 novos diagnósticos. O número não está inserido na estimativa feminina total, e poderá atingir até 530 mulheres no Amazonas.

Mamógrafos

O Governo do Estado vem fazendo um trabalho inédito no interior do Amazonas, voltado à prevenção ao câncer de mama. A Susam adquiriu mamógrafos e já está instalando em todos os 61 municípios. O secretário estadual de Saúde em exercício, José Duarte dos Santos Filho, explica que os hospitais das cidades do interior estão sendo adequados para a implantação do exame que, por se tratar de um serviço de radiologia, requer salas especiais, baritadas, o que está sendo providenciado.

"A Susam também está capacitando os profissionais que queiram operar os equipamentos. As unidades do interior foram equipadas para se conectar, via satélite, com a Central de Laudos do Hospital Francisca Mendes, em Manaus. Com isso, os exames de imagem - como é o caso da momografia - realizados no interior, são laudados na capital e, em curto espaço de tempo, os resultados estão disponíveis para o médico que os solicitou, no próprio município", afirmou.

O Governo do Estado investiu cerca de R$ 22 milhões na compra dos mamógrafos e digitalizadores, bem como na adequação das salas e treinamento dos técnicos. A estimativa é de que passem a ser realizados cerca de 70 mil exames de mamografia, ao ano, nos 61 municípios do interior.

Publicidade
Publicidade