Publicidade
Manaus
Manaus

PAC Cidades Históricas: Praça da Matriz começa a ser revitalizada

Implurb foi responsável pela elaboração do projeto arquitetônico e seu corpo técnico acompanhará a obra 15/07/2015 às 15:20
Show 1
Projeto tem aprovação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)
acritica.com Manaus (AM)

As obras de revitalização, recuperação e reforma da Praça da Matriz começaram nesta terça-feira (13) e seguiram na manhã desta quarta-feira (15), com os trabalhos de prospecção no local, com máquinas e homens fazendo uma verdadeira raspagem no calçadão e vias atrás dos tapumes.

A obra faz parte do PAC Cidades Históricas, com recursos da Caixa Econômica Federal, no total de R$ 6.554.322,14. O projeto tem aprovação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

“A Matriz está entre os projetos mais importantes, que tratam de criar uma área contínua recuperada entre o conjunto arquitetônico do Paço Municipal e da Praça Dom Pedro, ligados ao conjunto do Mercado Adolpho Lisboa”, explica o presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Roberto Moita. O Implurb foi responsável pela elaboração do projeto arquitetônico e seu corpo técnico acompanhará a obra.

Nesta etapa inicial de prospecção, as escavações são realizadas para tentar evidenciar se existe material característico e quais as quantidades de pavimentação original que estão sob o solo como paralelepípedos e pedras de lioz.

“Comprovada a existência ou não desses elementos, o projeto executivo será adequado para aprovação final no Iphan”, afirmou o diretor de Planejamento Urbano do Implurb, Laurent Troost. A estimativa é de 20 a 30 dias para todo o serviço de prospecções, dividido em cinco áreas na praça.

PROJETO

O projeto da Praça da Matriz prevê a reabertura da avenida Eduardo Ribeiro, recuperação das áreas pavimentadas com adaptação dos passeios públicos para ampla acessibilidade a deficientes físicos, requalificação do canteiro central, paisagismo, iluminação, sinalização, drenagem e mobiliário urbano.

“São obras como essa que vão começar a mostrar a real transformação pela qual passa o Centro Histórico como berço da cidade, de recuperação da cidade de uma dívida que tem com a história de Manaus”, disse Moita.

Com o canteiro central refeito, por exemplo, o Relógio Municipal e o Obelisco em frente ao porto terão maior destaque visual. Os elementos ficarão em estruturas fora do canteiro central, mas seguindo o mesmo traçado, compondo paisagem com os futuros jardins que serão instalados no espaço, enriquecidos pela iluminação tipo cajado de São José e por luz cênica.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade