Domingo, 17 de Novembro de 2019
POLÍCIA

Padrasto confessa ter matado enteado de 2 anos e diz que sentou em cima de criança

Criança morreu em hospital na noite desse domingo (6). Suspeito deve passar por Audiência de Custódia



padrasto.jpg Foto: Jander Robson/Freelancer
07/05/2018 às 15:15

O padrasto de João Miguel da Silva Cardoso, de 2 anos e 4 meses, identificado como Francisco Romário Brandão Amora, 23, confessou ter matado o próprio enteado e foi preso na manhã desta segunda-feira (7). O caso ocorreu nesse domingo (6) na rua Coletor, comunidade Parque Riachuelo, Zona Oeste de Manaus. Ele deve passar por Audiência de Custódia na tarde de hoje.

De acordo com a delegada plantonista da Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (Depca), Patrícia Leão, o suspeito disse que estava em uma festa com Luana da Silva, mãe da criança, por volta das 18h30 de ontem. A delegada disse que o menino teria sentido sono, quando foi colocado pelo casal para dormir na casa de um vizinho.



Romário contou em depoimento que teria ido olhar a criança por três vezes, e na terceira, João Miguel estaria chorando muito e vomitado.

“E aí tentando fazer com a criança parasse de chorar, sentou por cima dela. Ele alega que nunca imaginou que isso poderia acontecer. Quando ele viu que a criança só piorava, decidiu levar para mãe na frente da casa. Quando chegou, a mãe relata que o garoto já estava revirando os olhos e babando”, disse a delegada.

A criança foi levada a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Campos Sales, mas ela não resistiu e veio a óbito por volta das 21h. O médico falou que a suspeita era que a criança tinha sido gravemente ferida devido ao afundamento do tórax.  

“Quando ele soube que a criança tinha falecido, o padrasto disse que ia pegar umas roupas para a mãe e não voltou mais”, disse Leão.

O suspeito deve passar por Audiência de Custódia ainda nesta segunda-feira.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.