Publicidade
Manaus
Manaus

Pai do bebê jogado em rio aparece e presta depoimento à polícia

Através do advogado, Josias revelou detalhes da sua versão sobre o caso, culpando a mãe pelo crime. O bebê, de quatro meses de idade, ainda está desaparecido 21/08/2015 às 20:13
Show 1
Josias apareceu com olho roxo afirmando ser consequência de agressão feita pela ex-esposa, Cleudes, a mãe da criança
Joana Queiroz Manaus

VEJA IMAGENS

O canoeiro Josias de Oliveira Alves, pai do bebê que foi jogado no rio Negro, em Manaus, afirmou que a criança foi lançada nas águas pela mãe, Cleudes Maria Batista de Moraes, 22. Ele apareceu na manhã desta sexta-feira (21) com o olho roxo, dizendo ser consequência da agressão feita pela ex-esposa, Cleudes.

Josias prometeu que se apresentaria à polícia assim que se sentisse em segurança, o que fez nesta tarde. Ele está com mandado de prisão temporária em aberto desde a semana passada, depois de ter sido acusado por Cleudes de ter tentado matá-la e depois jogado o bebê no rio. O corpo da criança, Pablo Pietro, de quatro meses, ainda não foi encontrado.

Através de um dos advogados, Samarone, Josias confirmou ter se encontrado com Cleudes em uma embarcação no rio Negro, nas proximidades do porto do São Raimundo (antigo porto das balsas), na sexta passada, dia 14. Ele disse que, na ocasião, eles brigraram por conta do pagemento de uma pensão para o filho. Cleudes, contou Josias, estava armada com uma faca e usou o objeto para ameaçá-lo de morte. Ele disse também que foi agredido por ela.


Josias foi até a sede da DEHS prestar depoimento

“Ela jogou a criança a primeira vez e eu consegui segurá-lo. Ela tomou ele dos meus braços usando a faca, segurou junto ao peito dizendo ‘eu te amo meu filho’. Em seguida, ela beijou a cabecinha dele e jogou o no rio”, revelou Josias. O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Por volta das 15h30 desta sexta, Josias compareceu à sede da DEHS acompanhado dos dois advogados para iniciar seu depoimento ao delegado Ivo Martins, titular da Delegacia de Homicídios. Ontem, Cleudes foi ouvida por Martins e repetiu sua versão: de que o pai, Josias, tinha arremessado o pequeno Pablo Pietro no rio Negro.

Publicidade
Publicidade