Publicidade
Manaus
Manaus

Pai reconhece na rua o homem suspeito de estuprar e matar filha e depois chama a polícia

Após consumir muita droga, Leandro invadiu casa da vítima pelo buraco do ar-condicionado, sufocou a garota Amanda, de 17 anos, e a estuprou já morta 25/05/2015 às 15:36
Show 1
Ele foi preso pela PM, confessou o crime e se diz arrependido
VINICIUS LEAL E JOANA QUEIROZ Manaus

VÍDEO: LEANDRO CONFESSA CRIMES 

Leandro do Carmo da Silva, de 28 anos, foi preso pela polícia em Manaus e confessou ter assassinado por sufocamento, e ainda estuprado, a adolescente Amanda Cristina Bezerra de Araújo, de 17 anos, no dia 11 de abril, no bairro Colônia Oliveira Machado, na Zona Sul.

Ele foi preso porque o pai de Amanda, o senhor Alexandre Francelino de Araújo, o reconheceu andando nas ruas do bairro e chamou a polícia. Policiais militares da 17ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foram acionados e conseguiram prender Leandro.

Com mandado de prisão expedido em nome dele, Leandro foi levado até a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), onde confessou, em detalhes, como cometeu o crime. Segundo a polícia, Leandro trabalhava na distribuidora do irmão da Amanda.

Confissão em detalhes

Na noite do crime, dia 11 de abril, Leandro foi visto na frente da casa de Amanda. “Eu tinha acabado de vir com amigos de uma festa, e estava muito drogado. Eles foram para casa e eu fiquei lá querendo me drogar. Consegui droga e deu uma loucura de ir na (sic) casa dela”, disse Leandro.

O rapaz disse, em coletiva de imprensa, que sentiu vontade de fazer sexo e pensou em Amanda. “Entrei pelo buraco do ar condicionado. Eu não tinha a chave. Ela estava dormindo e seminua, e já fui acordando ela, fui para cima dela. Ela se bateu e a gente caiu no chão”, continuou contando.

Leandro contou, ainda, que primeiro matou Amanda e depois de morta a estuprou. “Eu tampei o ar dela e ela desmaiou. Eu apertei a garganta dela e o nariz. Depois eu fiz”, disse. Na coletiva de imprensa, o acusado estava tremendo e se dizia arrependido. “Estou totalmente arrependido”.

Fuga para o interior

Após matar Amanda, Leandro fugiu para a estrada de Açutuba, no interior do Estado, dormiu lá por uma noite, e depois foi para o município de Manacapuru, a 68 quilômetros de Manaus, onde trabalhou por um tempo. Ele voltou para a capital e começou a frequentar uma igreja.

“Todo mundo me conhece, sou trabalhador. Se eu pudesse voltar atrás, em nome de Jesus. Minha irmã já passou por isso. Estava arrependido e envergonhado”. Leandro será levado para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus.

Familiares

Os parentes de Amanda estiveram na sede da DEHS para a coletiva de imprensa. Eles carregavam cartazes e banners e pediam por justiça. O pai falou à reportagem que não tem condições de perdoar Leandro, pois “deram casa” para o rapaz, que mesmo assim cometeu o crime.

Publicidade
Publicidade