Publicidade
Manaus
MOMENTOS DE TENSÃO

Adolescente de 12 anos é feita refém em frente ao pai durante assalto a mercadinho

Durante a ação, que durou cerca de 3 minutos, o suspeito apontou a arma para a cabeça da jovem e a enforcou 07/09/2017 às 12:45 - Atualizado em 07/09/2017 às 18:32
Show 3efb6b9e f823 4b85 9970 7d98ef87bf02
(Foto: Arquivo pessoal)
Tiago Melo Manaus (AM)

O Mercadinho Altas Horas, localizado na Rua 75 do núcleo 14, no bairro Cidade Nova 2, na Zona Norte de Manaus, foi assaltado, pela segunda vez no ano, na noite de ontem (6). Durante a ação, que durou cerca de três minutos, o suspeito apontou uma arma para a cabeça de uma adolescente de 12 anos e a fez refém.

De acordo com informações da neta do proprietário, Suellen Carril, de 25 anos, o assaltado, que teve início por volta das 20h,  foi todo gravado pelas câmeras de segurança do local. "A garota é minha prima. Ela que abriu a porta para ele entrar porque achava que ele não tinha cara de bandido. Meu tio, o pai dela, era quem estava atendendo no caixa", comentou Suellen.

Trajando uma blusa rosa, bermuda jeans azul e um boné preto, o suspeito, segundo Suellen, chegou ao mercadinho se passando por um cliente. Antes de agir, o assaltante esperou que o outro cliente que já estava lá dentro, comprando carne, saísse do local.

"Ele entrou, esperou o outro sair, pegou alguns produtos, perguntou o preço de um picolé e quando a minha prima se aproximou ele a enforcou e colocou a arma na cabeça dela. Ele, então, empurrou a cabeça dela para baixo, a forçando pela nuca, com tanta força contra o balcão do caixa que ela quebrou a boca", contou Suellen.

Com a adolescente de refém, o assaltante pediu ao caixa a renda do dia, aproximadamente R$ 200 reais, e os dois celulares da loja. "Meu tio colocou tudo num saco plástico, junto com os produtos que o bandido tinha pegado e entregou para ele", disse Suellen, ressaltando que um segundo homem o estava esperando na esquina.

Ambos fugiram em uma moto Honda de cor branca, 150 cilindradas, de placa não identificada. Conforme Suellen, o caso foi registrado na 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP). "Pelo que podemos ver nas imagens das câmeras de segurança, já temos alguns suspeitos em mente", concluiu ela.

Publicidade
Publicidade