Publicidade
Manaus
RECLAMAÇÃO

Pais fazem abaixo-assinado pedindo ar-condicionado em escola da Zona Norte

Responsáveis afirmam que as salas da Escola Municipal José Augusto Roque da Cunha possuem os aparelhos, mas que eles não funcionam. Enquanto isso, alunos têm que enfrentar o calor diariamente para estudar 21/05/2018 às 05:35
Show escola
Foto: Reprodução/Google Maps
Rebeca Almeida Manaus (AM)

Os pais dos alunos da Escola Municipal José Augusto Roque da Cunha, localizada na rua Yarapé, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte de Manaus, fizeram um abaixo-assinado reivindicando a falta de ar condicionados no prédio da instituição. Os responsáveis afirmam que as salas possuem os aparelhos, mas que eles não funcionam e, enquanto isso, os alunos têm que enfrentar o calor diariamente nas salas de aulas.

Júnior da Silva, que é pai da aluna Suzany, de  9 anos, afirma que em conversas com a direção da escola, foi informado que os novos aparelhos já estão à disposição, no entanto ainda não foram instalados. “A direção só sabe informar que os aparelhos estão lá, mas que eles não sabem quando vão ser instalados.  Desde ano passado está nisso e já estamos no mês de maio”, criticou ele.

Suzany frequenta a instituição desde o ano passado e, segundo pai, até mesmo os funcionários da escola são prejudicados com a falta dos equipamentos. “Os professores ensinam bem, são dedicados, se esforçam, só que eles fazem de tudo para ajudar as crianças, mas não tem como. A quentura é bem séria e alguns levam ventiladores quando podem”, afirmou o pai.

Substituição da rede

De acordo com Léia Santos, mãe da aluna Wemmily, o problema no prédio é a fiação elétrica que precisa ser trocada e, conforme a direção da escola,  a substituição depende da Secretaria Municipal de Educação (Semed). “Quase todos os dias a minha filha chegava reclamando que a sala de aula estava muito quente”, afirmou.

A escola dispõe apenas do ensino fundamental. De acordo com Júnior, mesmo com a iniciativa dos responsáveis, nenhuma previsão de melhoria foi indicada até o momento.

“Foi feito um abaixo-assinado com a assinatura de todos os pais e eles estão correndo atrás. O que a gente pode fazer é esperar, mas as crianças estão sofrendo, o tempo está passando e eles não fazem nada”, disse. “Essa escola é estratégica. Todo mundo depende dela porque é a única ali na área”, completou.

Sem retorno

 A diretora da Escola Municipal José Augusto Roque da Cunha, Iracema Ruiz, preferiu não comentar sobre o assunto. “A assessoria de comunicação da Semed que responde por isso, eles podem responder’, disse.

A reportagem tentou entrar em contato com a Semed por meio dos telefones 999xx-xx86 e 36xx-xx54, porém não obteve resposta até a publicação desta matéria.

Prédio foi alugado pela Semed

De acordo com o Diário Oficial do Município de Manaus do dia 6 de abril de 2017, o prédio no qual a Escola Municipal José Augusto Roque da Cunha funciona atualmente é alugado pela Semed em nome da empresa Câmara e Macedo Aluguel de Imóveis Próprios LTDA.

Conforme o contrato nº 004/2016 da Semed, a Prefeitura destinou R$ 1,5 milhão para prorrogar a locação do imóvel por mais dois anos a partir de 2017.

Em 2016, o mesmo contrato foi realizado com a empresa para garantir a locação do imóvel até o ano seguinte. na época o valor do contrato foi R$ 380.400,00 .

Só em nome da empresa BRL Logística do Transporte Rodoviário de Cargas, a Semed mantém quatro contratos de locação no valor total de R$ 6,1 milhões.

Publicidade
Publicidade