Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
SOLIDARIEDADE

Pais de criança internada há 8 meses pedem ajuda para realizar o tratamento em casa

O custo para que o pequeno Lorenzo, de 1 ano e 4 meses, possa continuar seu tratamento em casa é alto. Uma vaquinha online foi aberta para a arrecadação solidária



9ab406c7-b6da-431f-b8de-c288d07f070a__1__8DF68905-1309-4CED-9F02-4A6042A7CCDF.jpg Foto: Divulgação
22/07/2019 às 18:19

Normalmente rodeada de brincadeiras e alegrias, a infância de uma criança pode sofrer interrupções e privações inesperadas. É o caso de Lorenzo Carvalho, que com apenas um ano e quatro meses de idade, já está há oito meses internado na UTI do Instituto de Saúde da Criança do Amazonas (Icam), na Zona Sul de Manaus. O pequeno realiza tratamento intensivo para problemas congênitos como microcefalia, além de graves dificulades de respiração.

Apesar das dificuldades, um recente quadro estável de Lorenzo abriu a possibilidade de que ele pudesse voltar para a sua casa e continuar o tratamento de forma residencial, desde que com um quarto especial com equipamentos e profissionais para fazerem o monitoramento e acompanhamento com o pequeno.



A possibilidade, no entanto, esbarra na carencia financeira da família. Para contornar esse problema, os pais de Lorenzo resolveram iniciar uma arrecadação por meio de um site de financiamento coletivo.

“Os médicos dizem que o seu tratamento pode ser feito em casa, mas para isso é necessário um quarto hospitalar e infelizmente o custo é alto. Não temos condições de arcar com os custos da compra desses aparelhos. Peço a ajuda de todos, pois quanto mais tempo o Lorenzo passar em ambiente hospitalar, mais riscos ele corre de pegar uma infecção, devido outros pacientes estarem no mesmo ambiente que ele”, alertou Genilson Lima.

Entre os equipamentos obrigatórios para que o pequeno Lorenzo possa continuar o seu tratamento em casa estão um Bipap, aspirador, oxímetro bala de oxigênio, cama hospitalar, além de médicos e fisioterapeutas que darão continuidade ao tratamento.


Genilson Lima divide o seu tempo entre trabalhar como padeiro e acompanhar o tratamento do filho no hospital. Foto: Divulgação

Trauma recente

Um dos principais motivos para que Genilson queira continuar o tratamento de Lorenzo em casa é um trauma recente que aconteceu em sua vida. Segundo ele, há seis anos sua primeira filha também teve problemas parecidos com o de Lorenzo. Devido ela ter ficado muito tempo no hospital, acabou contraindo uma infecção hospitalar que a levou a óbito.

“É realmente muito difícil para um pai ter que passar por tudo isso. Mas essas provações possuem um motivo, tornam as pessoas melhores. Apesar das dificuldades, continuaremos dando o melhor de nós para o nosso filho, para que ele possa sair dessa situação. Tenho certeza que o meu pequeno guerreiro Lorenzo vai conseguir sair dessa curado”, desabafou.

 

Saiba como ajudar

Com meta de arrecadação estipulada em R$ 50 mil, a vaquinha para trazer Lorenzo de volta para casa continua até o dia 20 de dezembro de 2019. Para contribuir, basta acessar o link da campanha e clicar no ícone “contribua”.

Acesse a campanha de arrecadação para Lorenzo (clicando aqui).

Além da campanha virtual, outras formas de ajudas podem ser realizadas entrando em contato com os pais de Lorenzo, pelo número de telefone: (92) 99419-2454.

Feijoada beneficente

Também para ajudar com a arrecadação, os pais e amigos do pequeno Lorenzo resolveram realizar uma feijoada beneficente. O evento, que será realizado no dia 8 de setembro, na Feira Comunitária Nova Esperança, rua Marivaldo Pereira, terá valor simbólico de R$ 10 por pessoa.

Durante o evento solidário, também serão sorteados vários prêmios. Para participar, basta comprar uma das rifas no valor de R$ 5 cada, que estarão disponíveis no dia do evento. 

News pedro01 9f97d6e2 e058 4e63 8ce7 e934cf255a3d
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.