Publicidade
Manaus
Manaus

Pais devem ter cuidados na hora de escolher o transporte escolar

Em Manaus, apenas 309 condutores possuem autorização para realizar esse tipo de transporte segundo dados da SMTU 13/01/2015 às 12:30
Show 1
Transporte escolar deve ser regulamentado pelo Detran
Acritica.com Manaus

Com a proximidade de volta às aulas, os pais devem retomar a atenção na hora de contratar um serviço muitas vezes indispensável: o transporte escolar. Itens de segurança básica precisam ser observados além de confirmar a legalidade da empresa que está fornecendo o serviço.

Em Manaus, apenas 309 condutores possuem autorização para realizar esse tipo de transporte. A informação é da Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) um dos órgãos responsáveis pela fiscalização de conduções escolares. 

Por meio do número do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) da secretaria é possível saber se o condutor está ou não regularizado. Os pais podem anotar a placa do veículo e o nome do condutor e ligar para o número 118 para confirmar a legalidade do serviço.

Nesta época do ano é comum a aparição de “transportes piratas”, pessoas que não possuem os documentos e o conhecimento necessário para transportar crianças e adolescentes para escolas.

Os interessados em contratar o serviço de transporte escolar precisam observar alguns itens essenciais como alvará de circulação, avaliar as condições de conservação e segurança do veículo e certificar que o condutor possui carteira de habilitação para categoria D.

A direção das escolas e outros pais de alunos também devem ser consultados para evitar a contratação de transporte clandestino para o transporte diário dos filhos.

Durante todo  o ano agentes do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-AM) devem realizar fiscalizações nesse tipo de veículo. O Instituto é responsável por verificar a presença de cronotacógrafo (ou tacógrafo).

O equipamento tem como função registrar as velocidades desenvolvidas pelo veículo, tempos de parada, distâncias percorridas e freadas bruscas, entre outras informações sobre o percurso.  O cronatacógrafo é considerado a “caixa preta” do veículo e  uso obrigatório está previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Publicidade
Publicidade